Website de Mônica Yamagawa

CULTURA

políticas culturais, patrimônio histórico, cinema, museus, teatro no centro de
são paulo

atualizado em: 3 de setembro de 2017

 

home > centro de são paulo > biblioteca online > CULTURA

Abaixo, indicações de artigos (download gratuito) e livros sobre os espaços culturais e as discussões sobre o setor cultural do Centro de São Paulo: políticas culturais, patrimônio histórico, museus, teatros, cinemas. Observação: O Museu Paulista está localizado no Bairro do Ipiranga, porém, boa parte do seu acervo, como pinturas, fotografias e objetos estão associados com o Centro de São Paulo.

CENTRO DE SÃO PAULO

ESCULTURAS


download gratuito

Operários da memória: artistas escultores do início do século XX e o concurso do monumento Glória Imortal aos Fundadores de São Paulo

Ana Rita Uhle
Anais do Museu Paulista
2015
 

O presente artigo discute a construção do monumento Glória imortal aos fundadores de São Paulo (obra de Amadeu Zani, 1925) e, mais especificamente, o concurso público para escolha da maquete, ocorrido em 1910. O foco da análise é o conjunto de projetos apresentados por escultores paulistas, brasileiros e italianos e toda a conflituosa negociação estabelecida entre a comissão executiva e os artistas, observada por um parecer publicado na primeira década do século XX, que traz o exame crítico dos trabalhos pela comissão julgadora. Os documentos possibilitam ainda reconhecer o savoir-faire de artistas que atuavam na produção de obras públicas no período, o modo como manejam a interpretação de episódios históricos e a sua conversão em imagens. A hierarquia entre os diferentes personagens, seja ele membro da comissão julgadora, historiador ou escultor, não é empecilho para que se operem interferências diversas no projeto vencedor, que são determinantes na concepção final da obra. Há nas fontes analisadas um instigante debate acerca da elaboração de narrativas calcadas em eventos históricos por meio de imagens, ou seja, da representação de personagens históricos, de cenários e de figuras alegóricas que merece ser problematizado. A análise da elaboração de um projeto do monumento Glória Imortal se faz adotando uma perspectiva da história social da arte, mirando o diálogo, as trocas e as negociações que permeiam o objeto de estudo, buscando pensar a obra e a produção dessas imagens como fruto de um processo e de um conjunto de práticas sociais. Palavras-Chave: Escultura; Imagem; Memória; Monumentos escultóricos - São Paulo; Amadeu Zani...[+]

 


Em cada canto de São Paulo um encanto de Brecheret

Sandra Brecheret Pellegrinni
Noovha América
2004

Brecheret trabalhou em toda a sua vida com a arte de esculpir produzindo diferentes obras em diferentes tamanhos. Ao iniciar a idealização de uma escultura, esse artista estudava suas dimensões em tamanho consideradas pequeno para depois compor grandes obras que hoje adornam as praças de São Paulo, como veremos retratadas nesse livro. A maior de suas obras é sem dúvida o Monumento às Bandeiras, que levou cerca de 33 anos para ser concluído, além de outras obras de grande porte, como o Monumento a Caxias, que tem cerca de 48 metros de altura. Assim, vamos sentir que preservar essas obras é importante para todos, pois é só dessa maneira que poderemos tê-las e admirá-las no futuro...[+]

 


Esculturas no Espaço Público em São Paulo

Miriam Escobar
CPA – Consultoria de Projetos e Artes
1998

São Paulo vista através de seus caminhos e os lugares por onde eles passam. Foi assim que a arquiteta Miriam Escobar organizou este seu trabalho em que as esculturas estão dispostas por esses lugares e como que olhando quem passa. Uma referência de coisa viva onde caminho, lugar e escultura afirmam o espaço dos homens como sendo mais do que um fluxo onde não há tempo a perder ou uma operação mecânica a se realizar. Cada objeto anotado fala do que se homenageia e, mais que isto, marca com a sua presença um sentido possível a ser assumido por quem passa e nota.  A experiência transmitida vem dos tempos de criança, de andanças primeiras por esta cidade que muda tanto. Traz o envolvimento e a sedução de olhos encantados que tudo registram. Vem daí a satisfação imensa que estes registros fotografados provocam. É um olhar de afetividades profundas que procura tudo mostrar, mas que não interfere em nada. É a cidade sempre presente pelos gradis de proteção, pelos carros, pelas gramas e plantas do jardim. As localizações em plantas gráficas vão informando onde se...[+]  

Edição usada disponível na
Estante Virtual

 



Arte Urbana: São Paulo, região central (1945-1998) : obras caráter temporário e permamente

Vera Maria Pallamin
Annablume
2000

Arte urbana, de Vera Pallamin, está organizado em texto e CD. O texto trata da conceituação sobre arte urbana e processos de estetização contemporâneos, sintetizando uma reflexão sobre práticas artísticas e suas relações com as transformações qualitativas dos espaços públicos. O CD, que porta propriamente o conteúdo intitulado deste trabalho, foi concebido de modo a propiciar o cruzamento de três eixos referenciais: referências urbanas, referências artísticas e autores/obras... [+]

 


Monumento a Ramos de Azevedo: do Concurso ao Exílio

Annateresa Fabris
Mercado de Letras
1997

O que motiva a criação de um monumento? Seus significados originários têm condições de permanecer no tempo? A partir destas e de outras interrogações, esta obra traça a história de um símbolo da mentalidade progressista de São Paulo nas décadas de 1920 e 1930, rapidamente convertido em antítese daquela mesma mentalidade e, por isso mesmo, transplantado para um outro local da cidade. As vicissitudes do monumento são analisadas em suas várias etapas: concurso, recepção crítico-ideológica, transtorno causado por sua presença numa artéria central da cidade, remoção e desfuncionalização num contexto diferente do originário...[+]

 


Escultura brasileira da Pinacoteca ao Jardim da Luz

Agnaldo Farias
Pinacoteca do Estado
2000

Fotografias e informações sobre o projeto e aas esculturas a Pinacoteca do Estado expostas no Jardim da Luz...[+]

Edição usada disponível nos sebos da
Estante Virtual

 


Descobrindo São Paulo Com Brecheret

Renata Sant'anna
FM Editorial
2013

São Paulo mostra a trajetória artística de Brecheret, marcada pela vivencia em cidades europeias e pelo contato com outros escultores...[+]

Edição usada disponível nos sebos da
Estante Virtual

 


 

FUNDICAO ARTISTICA NO BRASIL

SESI-SP
2013

A exposição Fundição Artística no Brasil teve o intuito de resgatar a importância da preservação do patrimônio cultural do nosso país, com foco na tecnologia de fundição artística, restauro de obras de arte e na educação de jovens profissionais. Apresentou uma cronologia do processo tecnológico da fundição artística conhecido como cera perdida , que chegou ao Brasil no século XVIII e passou as últimas décadas praticamente esquecido. Compuseram a exposição obras cedidas por importantes acervos culturais do Brasil, como a Pinacoteca do Estado de São Paulo, além de trabalhos desenvolvidos por professores, alunos e técnicos da Escola SENAI Nadir Dias de Figueiredo, em Osasco (SP)...[+]

 


São Paulo: Artes e Etnias

Percival Tirapeli e Manoel Nunes da Silva
UNESP
2007

Neste livro, o autor apresenta uma coleção de obras de arte da capital paulista, relacionando-as às origens étnicas de seus autores. Entre as inúmeras obras retratadas, encontram-se exemplares de arquitetura, escultura, pintura, algumas nunca antes expostas ao público ou reproduzidas em livro...[+]

 



Disponível para pré-visualização parcial no Google Books

 

Alem dos Mapas - os Monumentos no Imaginario Urbano Contemporaneo

Cristina Freire
Annablume
1997

Com este livro, Cristina Freire contribui para desvendar o quanto da cidade está em nós e o quanto de nós perde-se na pátina que vai se depositando nas paredes dos prédios, na imperceptível maceração que os nossos passos impõem nas calçadas de pedras. Seu objeto de estudo é a análise de dois monumentos da cidade de São Paulo, o monumento a Ramos de Azevedo e o prédio do monumento MASP. Utilizando-os como exemplo, ela lança sobre esta malha geométrica e previsível do traçado urbano uma outra malha cujo desenho plasma-se em ruas, prédios e monumentos, que guardam dentro de si a lembrança de um tempo anterior e que são capazes de alimentar a memória da percepção...[+]

 

ATIVIDADES E POLÍTICAS CULTURAIS


SAO PAULO CAPITAL ARTISTICA
A CAFEICULTURA E AS ARTES NA BELLE EPOQUE
(1906-1922)

Julio L. Moraes
Azougue
2013

A semana de Arte Moderna, realizada no Teatro Municipal de São Paulo em 1922, foi apenas o fenômeno mais expressivo do intenso entrecruzamento de interesses entre o universo do café e o mundo das artes. A Semana, contudo, foi só uma das diversas pontes estabelecidas. Teatro, cadeias cinematográficas, instituições artísticas e até as manifestações populares - nenhum segmento da vida artística local passou incólume às influências(diretas ou indiretas) do 'ouro verde', do complexo cafeeiro. 'São Paulo - capital artística' conta a história de algumas dessas relações, centrando atenções nos condicionantes econômicos. Histórias da vida artística dos palcos e salões paulistanos, mas acima de tudo a história econômica de um segmento em ascenção. Percorrendo o mundo dos dados quantitativos, 'São Paulo - capital artística' traz à tona informações pouco conhecidas ou exploradas pelos historiadores da cultura nacional...[+]

 



download gratuito

Circulação e mediação da obra de arte na Belle Époque paulistana

Mirian Silva Rossi
Anais do Museu Paulista/SciELO
2003

Este artigo trata de alguns dos principais aspectos que dizem respeito às inter-relações que a práxis artística mantinha com os circuitos de circulação e mediação da obra de arte, no período conhecido como Belle époque. A emergência de fenômenos específicos ligados ao campo em causa foi favorecida pelo ambiente de mudanças profundas, nos mais diversos níveis, que se instaurara na capital paulista em decorrência da Proclamação da República, do desenvolvimento da lavoura cafeeira e do crescimento da indústria. O amplo circuito que se formou em torno da arte, aqui exemplificado pelas exposições e pelos espaços de exposição permitiram apreender os principais elementos constitutivos do campo artístico paulistano em seu momento de nucleação original... [+]

 


Villa Kyrial: crônica da Belle Époque paulistana

Marcia Camargos
Senac
2000

Para retratar a sociedade paulistana espelhada na França, a 'Belle Époque' , a autora toma como referência a Villa Kyrial. Reunindo documentação iconográfica - composta de fotografias, caricaturas e impressos da Villa Kyrial, como cardápios, partituras e programas dos saraus musicais - o livro procura retirar do esquecimento esse episódio da história da cidade...[+]

 


METROPOLE E CULTURA - SAO PAULO NO MEIO SECULO XX

Maria Arminda do Nascimento Arruda
Edusp
2015

Fruto de sua livre docência, neste livro a socióloga Maria Arminda analisa a formação da metrópole paulista através dos fenômenos históricos e sociais do meio do século XX. O recorte temporal privilegia o estudo dos desdobramentos de eventos emblemáticos, como o movimento da Semana de 22, a Segunda Guerra Mundial e o fim do Estado Novo, na tentativa de entender em que moldes se deu a modernidade em São Paulo. A efervescência cultural e intelectual manifesta na dramaturgia de Jorge Andrade, nas peças do Teatro Brasileiro de Comédia, na criação do MASP, nas vanguardas das Artes Visuais e da Poesia, e na sociologia de Florestan Fernandes é investigada em seu contexto histórico. Evidenciando, portanto, as relações entre empresariado, políticos, jornalistas e artistas, entre outros atores e grupos sociais, esta é uma leitura capaz de interessar também ao público em geral...[+]

 


download gratuito

POLÍTICAS CULTURAIS EM SÃO PAULO E O DIREITO À CULTURA

Valmir de Souza
Cultura Digital
2012
 

Este artigo pretende abordar a questão do direito à cultura a partir de algumas gestões culturais na cidade de São Paulo, considerando o tratamento dado ao tema em textos programáticos acerca de políticas culturais, enfatizando o foco dado por esses discursos às práticas culturais de bairros periféricos, e apontando para a importância dada ao alargamento das noções de cultura, considerada como “prática em comum”. PALAVRAS-CHAVE: cultura, direito, gestão cultural, política cultural, periferia... [+]

 


Políticas culturais e negócios urbanos: a instrumentalização da cultura na revalorização do centro de São Paulo (1975-2000)

Beatriz Kara-José
Annablume / Fapesp
2007

A partir do estudo da recuperação do centro de São Paulo, Beatriz Kara-José apresenta a complexidade das estratégias políticas urbano-culturais. Mostra como foi criada uma concepção mercadológica e empresarial de cultura e a analisa sob sua dimensão simbólica - um potente instrumento de controle para evidenciar a quem 'pertence' o espaço transformado. Enfoca ainda duas questões - o que acontece com a dimensão da cultura, como constituinte da esfera pública, ao ser instrumentalizada em projetos urbanos; e a forma de atuação do Estado em áreas ocupadas por população de baixa renda...[+]

 


download gratuito

O ESPAÇO DA CULTURA
Guia Cultural do Estado de São Paulo

AURÍLIO SÉRGIO COSTA CAIADO
São Paulo em Perspectiva
2001
 

Este artigo é uma síntese das discussões teóricas da equipe que elaborou o Guia Cultural do Estado de São Paulo. Apresenta-se uma reflexão sobre o papel da cultura na constituição da identidade coletiva e das políticas culturais como instrumentos de desenvolvimento e os primeiros resultados a partir das informações coletadas pelo Guia Cultural, além de algumas considerações sobre a localização espacial dos equipamentos e atividades culturais. Palavras-chave: cultura; espaço da cultura; política cultural; produção cultural... [+]

 


Nos bares da vida: produção cultural e sociabilidade em São Paulo, 1940-1950

Lúcia Helena Gama
Senac SP
1998

Uma saborosa reconstituição da vida paulistana, através das vozes de alguns importantes atores desses anos intensos e renovadores. A autora, a partir de depoimentos atuais, coloca-se como uma personagem, que percorre os locais mais freqüentados pelos escritores e artistas da época - bares, cafés, confeitarias, restaurantes -, criando diálogos hipotéticos e fixando, com rigor e sensibilidade, os traços marcantes dessa ambiência intelectual...[+]

 


download gratuito

Os equipamentos culturais na cidade de São Paulo: um desafio para a gestão pública

Isaura Botelho
FFLCH/USP - Centro da Metrópole

A se considerar a cidade de São Paulo do ponto de vista da distribuição de equipamentos públicos e privados de cultura, poderíamos dizer que o quadro que se apresenta não é surpreendente. O que se revela é uma cidade desequilibrada onde há uma baixa correspondência entre crescimento urbano e a distribuição dos equipamentos culturais (ver mapa 1). A tal desequilíbrio na distribuição pelo espaço da cidade, devem-se acrescentar outras formas de geração de diferenças no uso destes equipamentos, pois há outros fatores decisivos na definição do seu uso por parte da população, vizinha ou não, de algum teatro, museu, cinema ou centro cultural. Ou seja, a análise da sua distribuição espacial é apenas um dos lados da questão. Seria necessário complementar essas informações com pesquisas que nos forneçam dados sobre a efetiva utilização desses equipamentos, bem como sobre a maneira pela qual a população em seu conjunto emprega seu tempo cotidiano... [+]

 


download gratuito

Cara de São Paulo: retrospectiva de 50 notícias selecionadas sobre o Museu Paulista e Museu Republicano "Convenção de Itu" no cinquentenário de sua incorporação à Universidade de São Paulo

Eduardo Loria Vidal
Dorival Pegoraro Junior
Biblioteca Digital da Produção Intelectual - BDPI, Universidade de São Paulo

Cara de São Paulo é uma justa homenagem à imprensa paulista e seu papel na divulgação das ações e da história do Museu Paulista e do Museu Republicano Convenção de Itu. A publicação reúne cinquenta matérias publicadas desde a incorporação dos dois Museus à Universidade de São Paulo, há cinquenta anos. A seleção privilegiou matérias especiais de cobertura de temas importantes na trajetória de nossos dois museus: a incorporação à Universidade, em 1963, as exposições realizadas, as comemorações do centenário da instituição, os projetos especiais de restauração, documentação e aquisição de acervos, a participação em datas importantes para a História do Brasil e as obras e projetos relacionados ao edifício-monumento...[+]

 


Sociedade movediça: economia, cultura e relações sociais em São Paulo, 1808-1850

Denise Aparecida Soares Moura
Unesp
2005 

Esta pesquisa sobre a sociedade paulista da primeira metade do oitocentos é tributária e também faz parte de um esforço para ampliar os estudos, investigações e interpretações deste amplo e diversificado painel historiográfico, literário e memorialístico. Retomando uma gama diversificada de documentos - jornais, como o Farol Paulistano, ofícios escritos por autoridades policiais, autos-cíveis, autos-crimes, atas, papéis avulsos e registros da Câmara, aquarelas, relatos de viajantes - e problematizando-os através da experiência da micro-análise, a autora procura infiltrar-se no tecido social urbano da cidade de São Paulo, entre os anos 1808-1850 e compreender outros contextos simultâneos ao da transmigração da família real para o Brasil, da implantação da Corte joanina, do processo de independência, das lutas regenciais e da implantação do Estado...[+]

 


TEATRO


Teatro Municipal de São Paulo: grandes momentos

Ignacio de Loyola Brandão 
Alexandre Dorea Ribeiro
DBA
1993

Este livro apresenta os seguintes capítulos - 'O teatro'; 'Ópera'; 'Dança'; 'Teatro'; 'Música'; 'O teatro devolvido'.

 


O Theatro Municipal de
São Paulo
Histórias Surpreendentes e Casos Insólitos

Vitor Hugo Brandalise
Edison Veiga
Senac
2013

Um arquiteto que projeta o maior e mais sofisticado teatro da cidade em sua época, mas que recusa uma homenagem oferecida pela Câmara Municipal por seus serviços; um produtor cultural que decide impedir a destruição de milhares de livretos de programação teatral reduzidos a entulho do dia para a noite, levando-os para seu próprio apartamento; uma guerra de bolas de papel que eclode no meio de um concerto; uma passeata para exigir que o preço dos ingressos para a ópera seja reduzido; e, como se tudo isso não bastasse, a Semana de Arte Moderna, realizada em 1922. Esses são apenas alguns dos muitos eventos e pessoas cujas histórias estão ligadas ao Theatro Municipal de São Paulo, ao longo de mais de cem anos de existência. 'O Theatro Municipal de São Paulo - histórias surpreendentes e casos insólitos' reúne vários episódios relacionados a essa casa de espetáculos, a maioria deles desconhecidos até mesmo de seus frequentadores mais assíduos. Narrados na forma de crônicas que remetem umas às outras, eles constroem uma história repleta de momentos curiosos, que retratam os motivos por que o teatro é objeto de respeito e apreço por parte do público e dos profissionais que nele atuam...[+]

 



HISTORIA DOS VELHOS TEATROS DE SAO PAULO

Antonio Barreto do Amaral 
Imesp
2006

A Coleção Paulística trata de diversos aspectos da História do Estado de São Paulo, de sua formação e cultura, de alguns de seus municípios e de algumas de suas personalidades. Publicados em meados do século XX, esses volumes tiveram sua última edição entre as décadas de 1970 e 1980. A reedição revista e atualizada de 5 volumes mostra-se muito oportuna: a coleção está esgotada e os poucos volumes em circulação têm merecido o tratamento de obra rara. Disponibiliza-se, assim, a pesquisadores e estudiosos da história de São Paulo, bem como ao público em geral, importante parte da obra. Os exemplares selecionados, escritos por nomes relevantes da prosa paulista, cobrem desde a saga dos Bandeirantes até a história dos teatros paulistas, destacando-se o importante Dicionário de História de São Paulo...[+]

 


Cem Anos de Teatro Em São Paulo

Sabato Magaldi e Maria Thereza Vargas
Senac
2001

A atividade teatral em São Paulo num período que parte do último quarto do século XIX para chegar a 1974 está contada neste livro. Escrito por dois especialistas de grande destaque - o crítico Sábato Magaldi e a pesquisadora Maria Thereza Vargas - e ilustrado por dezenas de fotos, 'Cem anos de teatro em São Paulo' alia a síntese informativa à segurança de opinião...[+]

 


O espetáculo da cultura paulista: teatro e TV em São Paulo – 1940 – 1950

David José Lessa Mattos
Codéx
2002

A partir da fundação do TBC, em 1948, e da primeira emissora de televisão brasileira, a TV Tupi-Difusora, em 1950, o autor revela fatos e personagens que ajudam a compreender as raízes da produção cultural e artística que é hoje oferecida ao público em São Paulo...[+]

 


Theatro Mvnicipal de São Paulo

Márcia Camargos
Dado Macedo Edições
2011

O livro Teatro Municipal de São Paulo 100 anos foi produzido e editado pela Dado Macedo Produções Artísticas (DMP). A obra é assinada pela pesquisadora e jornalista ganhadora do Jabuti, Márcia Camargos. Além dos relatos históricos, o livro traz imagens que são verdadeiras relíquias de acervo – em grande parte, inéditas ao público – e conta com novos registros sob a ótica do renomado fotógrafo Cristiano Mascaro. O projeto gráfico é de Martha Tadaieski Com 200 páginas e aproximadamente 300 fotos e ilustrações, a publicação narra fatos importantes da cidade a partir da construção do Teatro, idealizada no final do século XIX pelo arquiteto Ramos de Azevedo. São retratadas todas as fases deste patrimônio histórico, que, além dos modernistas, foi palco para grandes nomes, entre Maria Callas...[+]

 

ESPAÇOS CULTURAIS E ACERVOS


São Paulo
Olhar os Museus, Olhar a Cidade

Carlos Faggin
Ana C. Carvalho
Pedro de Kastro
Marcio Scavone
Dialeto
2012

Esta obra busca apresentar um ensaio elaborado por especialistas que procuram conduzir o leitor por itinerários dentro do ambiente urbano. Uma sinapse entre espaços, obras e artistas e o papel de cada um na história das cidades. A metodologia de pesquisa utiliza a coleta de informações multidisciplinares, a partir do mapeamento físico e virtual de bibliografia especializada, e, sobretudo visitas e a interação com usuários e profissionais ligados aos espaços. As informações estão baseadas em três eixos principais - Uma visão do espaço arquitetônico do museu e seu impacto na cidade; As coleções de obras e seus programas interpretativos; A possibilidades de percursos conjuntos, considerando-se os diversos tipos de acervos e de arquitetura dos museus da cidade. Desse modo, este livro não tem a intenção de esgotar de modo enciclopédico as possibilidades de visitas aos museus, mas apenas apresentar as impressões dos autores sobre alguns deles e as reflexões sobre o universo heterogêneo e diverso dos museus da cidade, procurando suas afinidades e diferenças...[+]

 


PINACOTECA DO ESTADO. CATÁLOGO GERAL DE OBRAS

Imesp
1988

 

Edição usada disponível nos sebos da
Estante Virtual

 


Livro: Arte Brasileira na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Disponível na Livraria Cultura

Arte Brasileira Na Pinacoteca do Estado de São Paulo

Taisa Helena Pascale Palares (organizadora)
Imesp
2010

Em 'Arte Brasileira na Pinacoteca do Estado de São Paulo' alguns críticos e historiadores nacionais fazem uma análise sobre as obras do acervo da Pinacoteca. Em 240 páginas ilustradas, o livro traz também um resumo das leituras monográficas apresentadas por especialistas em um ciclo de 16 conferências realizadas em 2003 e um registro histórico da arte brasileira e da Pinacoteca, desde a sua fundação. O livro inclui análises de mestres como Carlos Lemos, José Roberto Teixeira Leite, Luciano Migliaccio, Aracy Amaral e Tadeu Chiarelli, que analisam obras e artistas da arte brasileira - Almeida Junior, Pedro Américo, Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral, Lasar Segall, Cândido Portinari, Anita Malfatti e Victor Brecheret...[+]

 


ARQUIVO HISTORICO DE SAO PAULO

Eudes Campos
Imesp
2011

Seleção de manuscritos, mapas, plantas, desenhos técnicos e fotografias, escolhidos dentre os mais de 4 milhões de itens pertencentes ao acervo do 'Arquivo Histórico de São Paulo', este livro busca compor um mosaico da história da cidade e ressalta a importância da conservação deste patrimônio diante dos desafios de compreensão do seu futuro...[+]

 


download gratuito

Guia Arquivo Histórico Municipal Washington Luís
100 Anos
1907 - 2007

Arquivo Municipal Washington Luís
DPH
2007
 

O Arquivo Histórico Municipal Washington Luís, a mais antiga instituição de memória da municipalidade de São Paulo, integra a atual organização da Secretaria Municipal de Cultura, criada em 1975. Precedendo a própria Secretaria e o Departamento do Patrimônio Histórico, ao qual é subordinado, o AHMWL tem sua origem mais remota no ano de 1907, quando a Lei nº. 1.051 criou um arquivo municipal na Secretaria Geral da Prefeitura...[+]

 


download gratuito

Fotografia no Museu: o projeto de curadoria da coleção Militão Augusto de Azevedo

Solange Ferraz de Lima
Vânia Carneiro de Carvalho
Anais do Museu Paulista
1997
 

O objetivo do presente texto é apresentar a coleção fotográfica de Militão Augusto de Azevedo pertencente ao Museu Paulista da Universidade de São Paulo e discutir os procedimentos documentais adotados para o seu tratamento. São analisados as~ctos metodológicos de modo a evidenciar um conceito específíco de curadoria, no qual as tarefas de documentação, conservação física e exploração educativa e cultural são orientadas pela pesquisa. Keywords : Museu histórico; Fotografia [São Paulo]; século XIX... [+]

 


download gratuito

São Paulo Antigo, uma encomenda da modernidade: as fotografias de Militão nas pinturas do Museu Paulista

Solange Ferraz de Lima e Vânia Carneiro de Carvalho
Anais do Museu Paulista/SciELO
1993

"Por ocasião das comemorações do centenário da Indendência do Brasil em 1922, o então diretor do Museu Paulista, Affonso de Escragnole Taunay, empenhou-se na montagem de exposições voltadas para a reconstituição arcaizante do passado urbano de São Paulo. Parte desse projeto consistiu em encomendas de pinturas realizadas a partir de matrizes fotográficas do século passado. O presente estudo discute as estratégias visuais presentes na transcodificação de objetos iconográficos de natureza diversa no ãmbito do espaço celebrativo do Museu e seus desdobramentos ideológicos, implícitos nas ações de caráter nacionalista,-educacional e preservacionista."... [+]

 


Pinacoteca 100 Anos destaque do acervo

Marcelo Matos Araújo
(organizador)
Pinacoteca do Estado
2005

A Pinacoteca do estado em São Paulo comemorou em 2005 o seu primeiro centenário de existência. Fundada em 1905, pelo governo do estado de São Paulo, a Pinacoteca é o museu de arte mais antigo em São Paulo...[+]

Edição usada disponível nos sebos da
Estante Virtual

 


ACADEMIA PAULISTA DE LETRAS - 90 ANOS

Carlos Eduardo Novaes
Imesp
1999

A edição do dia 27 de novembro de 1909 do tradicional Correio Paulistano noticiou - 'Inaugura-se hoje a Academia Paulista de Letras'. O livro, planejado para comemorar os 90 anos da entidade, apresenta um poema, 'Canto de Amor à Academia', de Paulo Bomfim, ensaio de Myriam Ellis, 'Gênese e Renascimento da Academia Paulista de Letras', um 'Panorama Histórico-Cultural da Academia Paulista de Letras', de Célio Debes, e 'Tesouros do Arquivo da Academia Paulista de Letras', com reprodução de cartas e documentos importantes da história acadêmica...[+]

 


download gratuito

Da Palavra à Imagem: sobre o programa decorativo de Affonso Taunay para o Museu Paulista

Claudia Valladão de Mattos
Anais do Museu Paulista/SciELO
2003

O presente artigo analisa a decoração interna do Museu Paulista, criada e implementada por Affonso d'Escagnolle Taunay durante sua gestão como diretor daquela instituição, procurando compreender as estratégias utilizadas por ele para traduzir suas convicções teóricas em uma linguagem visual convincente. A autora analisa ainda os vínculos do projeto proposto por Taunay com a vasta tradição de ciclos decorativos europeus e, mais especificamente, com os projetos de construção de uma identidade nacional através da pintura, defendida por alguns artistas ligados à Academia de Belas Artes durante o século XIX... [+]

 


download gratuito

CCBB SÃO PAULO UM PASSEIO PELA HISTÓRIA

Banco do Brasil
2010
 

O objetivo do PROGRAMA EDUCATIVO DO CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL é promover o acesso Odo público às atividades oferecidas pelo CCBB e proporcionar ao visitante a oportunidade de conhecer a história e os detalhes arquitetônicos do prédio que abrigou a primeira sede própria do Banco do Brasil em São Paulo e que hoje é palco de inúmeros eventos culturais nas mais diversas áreas... [+]

 


Pinacoteca do Estado: a história de um museu

Márcia Camargos
Marcelo Mattos Araújo
Pinacoteca do Estado
2007

Esta obra visa comemorar centenário da Pinacoteca do Estado e oferecer uma visão histórica do museu de arte de São Paulo. O livro traz imagens do espaço e das obras do museu...[+]

Edição usada disponível nos sebos da
Estante Virtual

 


download gratuito

História nacional em São Paulo: o Museu Paulista em 1922

Ana Cláudia Fonseca Brefe
Anais do Museu Paulista/SciELO
2002-2003

Neste trecho, Affonso d’Escragnolle Taunay descreve de maneira sucinta suas realizações nos cinco primeiros anos à frente do Museu Paulista. Apesar de corresponderem a menos de um terço de sua gestão são de suma importância, pois neste curto período ele deu à vetusta instituição os principais contornos de um museu histórico, ou mais precisamente, de um “lugar de memória” nacional, pretendendo fixá-lo como lugar de origem da nação brasileira e, ao mesmo tempo, concedeu a São Paulo o ansiado destaque no cenário nacional... [+]

 


download gratuito

Velha-nova Pinacoteca: de espaço a lugar

Fábio Müller
Vitruvius
2000

Prelúdio: a simultaneidade da dicotomia: o novo e o preexistente. Não deveria haver o problema específico da intervenção arquitetônica em preexistências, somente o problema único da arquitetura. A intervenção em preexistências é essencialmente Arquitetura, com A maiúsculo: concepção que transcende a mera recuperação estilística e estrutural e os fatores técnicos e construtivos da materialidade da obra... [+]

 


Sala São Paulo de Concertos: revitalização da Sala Estação Júlio Prestes

Ruth Verde Zein
Anita Regina Di Marco
Alter Market
2001

O objetivo deste livro é divulgar uma visão cultural, urbanística e arquitetônica do complexo processo da transformação da estação ferroviária Júlio Prestes, situada no centro histórico de São Paulo, em uma sala de concertos de padrão internacional, organizada e aparelhada com a tecnologia do século 21 cuja alta qualidade acústica e arquitetônica, vem sendo reconhecida por especialistas brasileiros e mundiais. Trata-se de uma obra de restauro, de um trabalho de reciclagem de usos, de um projeto técnicamente complexo e de um importante ponto de apoio para uma efetiva transformação na paisagem humana e social da área central da cidade...[+]

 


download gratuito

Notas sobre a Sala São Paulo e a nova fronteira urbana da cultura

Guilherme Wisnik, Mariana Fix,
José Guilherme Pereira Leite, Julia Pinheiro Andrade & Pedro Arantes
FAU/USP

A antiga estação de trens Júlio Prestes, concebida para ser a porta de entrada da cidade do café, foi inaugurada apenas em 1938, depois da crise de 1929, e permaneceu esquecida por longo tempo. Somente agora, quando é convertida em uma moderna sala de concertos, a estação parece viver seu apogeu. Sede da nova Orquestra do Estado, modernizada pelo maestro Neschling, a Sala São Paulo é atualmente o maior símbolo das novas intervenções em cultura na cidade. Rodeada por uma zona urbana degradada, a chamada “cracolândia”, a Sala São Paulo nasce como aparente sinal de civilização em meio à barbárie e pretende transformar todo seu entorno. Mais que isso, a Sala é anunciada como o ponto de inflexão de uma “grande virada” na área central: desencadeando, juntamente com outros investimentos culturais, um “efeito dominó” de revalorização e retomada dos negócios imobiliários. As relações entre Estado e setor privado, entre alta cultura e mercado imobiliário, a disputa territorial que se configura com a tentativa de retomada do Centro pelas elites e seu suposto projeto civilizatório permeiam a história da Sala São Paulo e são investigadas neste artigo... [+]

 


História & Energia: a Light revela São Paulo - Fotografias da Light (1899-1920)

Vários Autores
FPH DA ENERGIA DE SP
2001

Espaços livres de uso público do centro nas fotografias da Light (1899-1920)...[+]

Edição usada disponível nos sebos da
Estante Virtual

 


Imagens de São Paulo: Gaensly no acervo da Light (1899-1925)

Vera Maria de Barros Ferraz
(organizadora)
Fundação Patrimônio Histórico da Energia de São Paulo
2000

Reúne imagens produzidas pelo suíço Guilherme Gaensly, que por 25 anos foi fotógrafo contratado da Light. Nessa função, Gaensly registrou obras e instalações do serviço paulistano de energia elétrica, assim como as transformações ocorridas na capital e no Estado de São Paulo. As fotografias pertencem ao acervo da Fundação Energia e Saneamento...[+]

 


CINEMA


SALOES, CIRCOS E CINEMAS DE SAO PAULO

Vicente de Paula Araújo
Perspectiva
1981

Entremeado de farta iconografia, precedido de considerável lastro informativo e adotando o mesmo critério cronológico de sua obra anterior sobre a Bela Época do cinema brasileiro, Vicente de Paula Araújo retrata figuras pouco conhecidas e revela aspectos desconhecidos da chamada idade da pedra do cinema paulistano. Seu autor foi perquirir no registro quotidiano das publicações da época, os acontecimentos políticos, econômicos, religiosos, policiais e esportivos em torno dos divertimentos mecânicos e artísticos que surgiram, antecederam, conviveram, competiram, desapareceram e se transformaram com a consolidação do cinematógrafo no gosto e hábito de todas as classes sociais da população. Trata-se, portanto, de um movimentado e colorido painel da vida urbana de São Paulo no setor das diversões populares, entre os últimos anos do século XIX e os primeiros tiros do grande desatino mundial de 1914...[+]

 


Salas de Cinema e História Urbana de São Paulo (1895-1930)

José Inácio de Melo Souza
Senac
2016

"Salas de cinema e história urbana de São Paulo (1895-1930) - o cinema dos engenheiros" apresenta um vasto panorama sobre os espaços de exibição cinematográfica na cidade de São Paulo, cobrindo todo o ciclo do cinema silencioso. Por meio da documentação custodiada pelo Arquivo Histórico de São Paulo (AHSP- SMC/PMSP), um dos principais acervos históricos da cidade, o autor reconstitui um momento significativo da história do cinema e da memória urbana paulistana do século XX, marcado pela presença das "salas de rua". Nesta edição, que amplia os estudos de seu livro Imagens do passado - São Paulo e Rio de Janeiro nos primórdios do cinema (Editora Senac São Paulo, 2004), o autor recupera no rico conjunto documental do AHSP projetos de salas especialmente construídas, ou adaptações, para abrigar os cinematógrafos, reproduzindo fachadas, plantas e cortes dessas edificações, além de outros registros de acervos diversos, como anúncios na imprensa, fotografias e cartões- postais. José Inacio de Melo Souza, um dos mais dedicados pesquisadores da história do cinema no Brasil, destaca documentos pouco conhecidos, delineando uma perspectiva renovada sobre esse complexo momento de introdução do cinema em São Paulo e a constituição de um circuito de distribuição e exibição, espaço de socialização privilegiado da modernidade...[+]

 


São Paulo em preto & branco: cinema e sociedade nos anos 50 e 60

Waldir Salvadore
Annablume
2005

Nos anos 50, São Paulo assume a condição de maior metrópole nacional, o grande pólo econômico e cultural do país. É também o momento em que tem início uma produção cinematográfica local minimamente regular, vinculada ao acelerado processo regional de industrialização e urbanização. Os anos 60, numa espécie de contraponto à década anterior, vêem as contradições socioeconômicas se acirrarem, precipitando a crise política que culmina no golpe militar de 1964. Passa-se abruptamente de um clima de liberdade de expressão para um de repressão e censura. A intenção deste estudo é identificar eventuais rupturas e continuidades no tecido sociourbano da metrópole a partir de uma amostra representantiva da filmografia de ficção local produzida nessas duas décadas, privilegiando a análise de aspectos formais e características específicas da linguagem cinematográfica... [+]

 


download gratuito

Inventário dos espaços de sociabilidade cinematográfica da cidade de São Paulo (1895-1929)

José Inácio de Melo Souza
ArquiAmigos - Amigos do Arquivo Histórico de São Paulo

Parte 2 - Parte 3 - Parte 4

"Georges Jean Renouleau, fotógrafo de origem francesa (Bergerac, 7/12/1845), antes de se fixar em São Paulo montou ateliês em Pelotas (1875), Porto Alegre (1878) e Rio de Janeiro (1883-84). Começou a trabalhar na capital paulista a partir de 1885-89, com ateliê fotográfico na rua Direita, 6. Passou depois para a rua Marechal Deodoro, 2 (em 1895, atual 15 de Novembro), cujas instalações se incendiaram acidentalmente; rua General Câmara, 108 (1897), rua Bento Freitas, 7-A (1897), rua Direita, 24 (1898-99) e..." [+]

 


Na cinelândia paulistana

Anatol Rosenfeld
Perspectiva
2002

Anatol Rosenfeld imprimiu marca indelével na vida intelectual paulistana e no debate de idéias no Brasil. Incorporando as mais significativas tendências do pensamento e da crítica literária e artística da Alemanha pré-nazista, deixou um largo acervo de contribuições no campo da filosofia, da estética, das ciências humanas, da literatura e do teatro, marcadas por agudo senso crítico. Nesse contexto também se inserem os seus escritos sobre cinema. Fruto de cuidadoso trabalho de levantamento realizado por Nancy Fernandes, Na Cinelândia Paulistana descortina uma continuada apreciação e uma penetrante visão crítico-estética, amparada inclusive em conhecimentos técnicos especializados, de uma das paixões desse intelectual berlinense e, no entanto, tão brasileiro - a sétima arte. Seus ensaios e comentários abordam não só a fase florescente da Vera Cruz, como um dos momentos mais fecundos da criação cinematográfica americana, francesa, italiana e japonesa do pós-guerra...[+]

 


PATRIMÔNIO CULTURAL


Caminhos do patrimônio cultural: 3 roteiros em São Paulo

Ana Maria Xavier
Luís Antonio Magnani
Via das Artes
2010

O livro retrata bens arquitetônicos importantes na formação do estado de São Paulo, além de patrimônios culturais. A obra diferencia-se por apresentar edificações que têm relevância, principalmente, para o cotidiano das comunidades onde estão inseridas. Com textos curtos e fotos exclusivas de especialistas em retratar projetos arquitetônicos, a publicação apresenta um histórico que contextualiza as edificações econômica e socialmente....[+]

Edição usada disponível nos sebos da
Estante Virtual

 


Patrimônio da metrópole paulistana

Margarida Cintra Gordinho
Iatã Cannabrava
Terceiro Nome
2010

Este livro apresenta, com fotos e textos, os bens tombados pelo Condephaat na cidade de São Paulo e em sua região metropolitana. Com ele, procuramos contribuir para amplir a possibilidade desses bens serem conhecidos, admirados e preservados, mantendo vivas as memórias e histórias que ajudam a construir nosso futuro...[+]

 



CAPITAL - SAO PAULO E SEU PATRIMONIO ARQUITETONICO

Juan Esteves
Antonio Carlos Abdalla
Imesp
2013

'A Secretaria de Estado da cultura de São Paulo tem imensa satisfação em apoiar a reedição do livro 'Capital - São Paulo e seu patrimônio arquitetônico, de Juan Esteves. Com curadoria de Antonio Carlos Abdalla, o conjunto de fotografias selecionadas oferece um amplo panorama da diversidade de edifícios de distintas naturezas que marcaram a capital paulista ao longo de sua história, especialmente os últimos 100 anos. Colocado em evidência no magistral registro de Juan Esteves, o patrimônio arqutetônico paulistano pode aqui ser apreciado nos detalhes que acabam por ficar invisíveis em meio à agitação cotidiana da metrópole. Ao dar merecida visibilidade aos edifícios retratados, esta publicação ajuda a sensibilizar para a necessidade de preservação desse patrimônio, uma importantíssima e difícil tarefa, que precisava envolver toda a sociedade.' - Marcelo Mattos Araujo...[+]

 


RESTAURAÇÃO ARQUITETÔNICA: A EXPERIÊNCIA DO SPHAN EM SÃO PAULO
1937 - 1975

Cristiane Souza Gonçalves
Annablume
2007

Cristiane Souza Gonçalves, num esforço paciente em busca de fontes primárias e informações dispersas, esmiuça significativas intervenções de restauração realizadas pelo SPHAN em São Paulo, buscando avaliar seus pressupostos teóricos e suas justificativas práticas. Brinda, assim, o leitor com um importante instrumento de reflexão sobre experiências que consagraram uma abordagem que encontra até hoje muita ressonância nos meios patrimoniais...[+]

Edição usada disponível nos sebos da
Estante Virtual

 


BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos
EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A
SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento
1984

 

Edição usada disponível na
Estante Virtual

 


Cúpulas São Paulo: tesouros arquitetônicos e história da capital paulistana

Empresa das Artes
2007

O livro-agenda 'Cúpulas de São Paulo - Tesouros arquitetônicos e história na capital paulista' traz as mais belas cúpulas e pináculos da cidade captados pelo fotógrafo Ennio Brauns. São mais de 40 imagens - entre elas a da Catedral Metropolitana de São Paulo e do Mosteiro de São Bento - que contam a história recente da capital...[+]

 


Imagens do passado A instituição do patrimônio em São Paulo 1969 - 1987

Marly Rodrigues
Unesp
2000

Imagens do passado é uma investigação sobre as formas de relação entre a sociedade paulista e seu próprio passado. Nesse quadro Marly Rodrigues situa a ação do poder público exercida através de um órgão constituído para proteger o patrimônio paulista, o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico — Condephaat. Detendo-se na análise da atuação do Condephaat para a constituição do patrimônio histórico-arquitetônico no Estado de São Paulo, a autora toma o passado das sociedades como uma construção simbólica que se realiza nos limites das condições históricas do presente. Nessas estão, entre outros fatores, as políticas públicas de cultura e as possibilidades dos segmentos sociais incluírem testemunhos de sua cultura particular no amplo e complexo universo da memória social. ....[+]

 


PATRIMÔNIO CULTURAL E CIDADE: PRÁTICAS DE PRESERVAÇÃO EM SÃO PAULO

Juliana Mendes Prata
Annablume
2013

Este livro analisa questões de política patrimonial na sua relação com a cidade ocorrida sobretudo a partir dos anos 1970, destacando-se o conceito de patrimônio ambiental urbano. Reconhecendo este processo para a cidade de São Paulo, o livro analisa a preservação do patrimônio cultural daí decorrente, que se firmou em torno de três eixos- a questão urbana, o meio-ambiente e a cidadania. Especialmente, procura historicizar, problematizar e refletir sobre as práticas do órgão preservacionista estadual, o CONDEPHAAT, a partir deste contexto, em processos de estudo de tombamento de bairros e regulamentação de áreas envoltórias na cidade de São Paulo...[+]

Edição usada disponível nos sebos da
Estante Virtual

 


Arquitetura, Bens Históricos, Praças e Parques no Centro de São Paulo

Wladimir Catanzaro
Caixa Econômica Federal
1998

Catálogo da exposição realizada na Caixa Cultural em 1998...[+]

Edição usada disponível nos sebos da
Estante Virtual

 


home      moyarte      não-diário      contato