Website de Mônica Yamagawa

ESCOLAS

publicações sobre a história do ensino no
centro de são paulo

atualizado em: 2 de maio de 2018

 

home > centro de são paulo > biblioteca online > Escolas

Abaixo, indicações de artigos (download gratuito) e livros sobre a história do ensino no Centro de São Paulo.

 

Acesse outras bibliotecas sobre o Centro de São Paulo:

[+] Livros sobre o Centro de São Paulo (data de publicação)

[+] Livros e artigos sobre as igrejas do Centro de São Paulo

[+] Outras publicações sobre o Centro de São Paulo

 

CENTRO DE SÃO PAULO


A Academia de São Paulo Tradições e Reminiscências

Almeida Nogueira
Saraiva / Secretaria da Cultura. Ciências e Tecnologia do Estado de São Paulo
1977

Baseados em grande parte em pesquisas realizadas no Rio de Janeiro e em São Paulo, este livro permite aos leitores uma reflexão comparativa, oferencendo-lhes ricas descriçoes etnográficas, dados e argumentos instigantes. Vale ressaltar ainda que os textos foram, na medida do possível, muito bem sucedidos diante do desafio a que se ...[+]

 


A Formação de Professores em São Paulo. 1846-1996. A Prática de Ensino em Questão

A Formação de Professores em São Paulo. 1846-1996. A Prática de Ensino em Questão

Jane Soares de Almeida
Autores Associados
2016

Este livro trata da formação de professores. Eis aí um tema de certo modo já antigo que, no entanto, continua extremamente atual, pelo bem e pelo mal – e, infelizmente, mais pelo mal que pelo bem. É oportuno o lançamento deste livro porque trata exatamente da formação de professores tendo como foco a questão da prática. E, ancorando-se na história, esta obra surge como antídoto às pregações com ares de soluções inovadoras tomando a prática imediata vigente na cotidianidade como a chave definitiva para a solução do problema da formação de professores...[+]

 


Caetano de Campos. A Escola que Mudou o Brasil

Patrícia Golombek
Edusp
2015

Caetano de Campos: A Escola que Mudou o Brasil estrutura-se em torno de breves biografias dos que dirigiram e trabalharam na escola Caetano de Campos, situada no prédio construído por Ramos de Azevedo entre os anos de 1890 e 1894, na atual Praça da República, e posteriormente tombado pelo Condephaat. Os relatos apresentados por Patrícia Golombek começam antes da construção propriamente dita, a partir de 1846, quando foi criada a primeira Escola Normal de São Paulo, e seguem até a saída da Escola no final da década de 1970. Nesse percurso, a autora destaca a biografia de alunos e professores reconhecidos no cenário cultural brasileiro, e os momentos decisivos do prédio, que abrigou, inclusive, a Faculdade de Filosofia, Ciências da USP no final da década de 1930...[+]

 

Sao Paulo - Patio Do Colegio - Uma Historia Ilustrada A Bico De Pena

Terciano Torres
Globo
2004

Alguns anos de pesquisa e uma boa dose de humor resultaram em uma forma original de contar uma história. O artista Terciano Torres tomou como ponto de partida o Pátio do Colégio, no centro de São Paulo, e reuniu em livro os quatro séculos e meio da história da cidade, misturando desenhos reais (detalhes de arquitetura e apelos históricos) com uma paisagem urbana recheada com caricaturas de personagens que marcaram época. O resultado é o álbum "São Paulo - Pátio do Colégio - Uma história ilustrada a bico de pena", que está sendo lançado pela Editora Globo. O livro reúne 51 ilustrações - chamadas de cartuns postais pelo artista - com detalhes peculiares que contam a história da cidade de forma descontraída, facilitando o aprendizado sobre os seus 450 anos de existência. Aberta, a publicação exibe uma página com texto seguida de outra com ilustrações que começam em 1553 (um ano antes da fundação da cidade) para mostrar como era o lugar - com natureza exuberante e a presença de índios - onde São Paulo seria construída. As ilustrações têm como cenário uma vista panorâmica de momentos do cotidiano do Pátio do Colégio, povoados pelos mais diversos personagens. Os desenhos pontuam acontecimentos importantes da cidade ao longo de quase cinco séculos, como fundação, expulsão dos padres jesuítas, independência do Brasil, mão-de-obra escrava e abolição, chegada dos imigrantes, verticalização da cidade com arquitetura eclética, recessão mundial de 1929, migração nordestina, censura, construção do metrô, o vestuário de cada época etc. As cenas mostram tanto figurantes anônimos como personagens que em algum momento fizeram parte da história paulistana. Entre eles estão Santos Dumont, o arquiteto Ramos de Azevedo, Getúlio Vargas, Adoniran Barbosa e até Chico Bento, criação dos quadrinhos de Maurício de Sousa bastante ligado à cultura regional. A leitura de "São Paulo - Pátio do Colégio - Uma história ilustrada a bico de pena" lembra uma história em quadrinhos em formato gigante. "Esse tipo de abordagem pelo humor permite a irreverência, dá dinamismo, não é enfadonho e até abre espaço para a licença poética", observa Terciano Torres. Outra característica da obra é que a seqüência dos desenhos mostra muitas das reformas desse marco da cidade que é o Pátio como demolições e reconstruções que acompanharam as diversas mutações que fizeram de São Paulo a grande potência econômica da América Latina. Foi ao redor do Pátio do Colégio que funcionou o primeiro museu, a primeira agência de Correios do Estado. Foi ali que Evaristo da Veiga compôs o Hino da Independência - musicado por Dom Pedro I. Também foi ali que aconteceram eventos importantes que resultaram na sangrenta Revolução de 1924. Suas dependências serviram de Colégio dos Jesuítas até 1759 e de Palácio do Governo, a partir de 1765. Os textos explicativos que situam o contexto dos desenhos tratam de eventos importantes da política, da economia e da cultura paulistana, acontecimentos relacionados à cidade e que vão além da proximidade física com o Pátio do Colégio. Por exemplo, o movimento constitucionalista de 1932, a Semana de Arte de 1922, a música, os bondes antigos que eram puxados por burros, os bondes elétricos, a chegada dos automóveis e da televisão, além do comício das eleições diretas, em 1984. Cada informação foi rigorosamente levantada pela Companhia da Memória, empresa especializada em pesquisa histórica. Os cenários foram criados pelo artista a partir de desenhos, fotografias, mapas, pinturas e com a ajuda de descrições de livros. O trabalho de Terciano impressiona pela riqueza de informações que compõem cada cena. Tudo nas ilustrações tem seu significado. Nada é gratuito e deve-se olhar cada detalhe com atenção e curiosidade, num exercício que estimula o raciocínio e torna a informação histórica atraente tanto para adultos, quanto para crianças e jovens em idade escolar. Nesse sentido, os textos explicativos dão uma valiosa ajuda para que se tire o máximo de informação dos desenhos...[+]

 

 

 

Sociedade de Educação de São Paulo

Sociedade de Educação de São Paulo

Ana Clara B. Nery
SCIELO - EDITORA UNE
2009

Na década de 1920, algumas instituições organizaram-se com o intuito de legitimar a atuação de seus associados no campo educacional que estava se estruturando, como ocorreu com a Sociedade de Educação de São Paulo, que foi fundada com a finalidade de congregar membros do magistério em seus vários níveis, dos setores público e privado, com ideias e interesses comuns, tendo uma intensa atuação no cenário educacional do período. A obra pretende recuperar aspectos da criação e do funcionamento da Sociedade de Educação, seu papel e posição na estruturação do campo educacional. A partir deste estudo, veremos quais são as principais questões discutidas no âmbito da entidade e ainda quem eram seus membros...[+]

 


https://amzn.to/2JIyuCA

Professores da Escola Normal de São Paulo: a história não escrita (1846 -1890)

Marcia Hilsdorf Dias
Alínea
2013

Esta obra, que se inscreve no âmbito da história das instituições escolares, visa contribuir para o campo historiográfico da educação brasileira em duas direções: a do estudo da história republicana da Escola Normal do Império e a do conhecimento dos professores que atuaram na Escola Normal de São Paulo durante o século XIX, no período do Império brasileiro...[+]

 


Os arquitetos da Poli: ensino e profissão em São Paulo

Os arquitetos da Poli: ensino e profissão em São Paulo

Sylvia Ficher
Edusp
2005

"Os Arquitetos da Poli' é um estudo sobre a profissão de arquitetura e o ensino institucional de arquitetura na cidade de São Paulo na primeira metade do século XX. Curiosamente, a primeira instituição que ofereceu a especialização em Arquitetura foi a centenária Escola Politécnica (Poli). Edição de luxo, o livro é recheado de fotos das mais importantes construções da cidade de São Paulo e relata, em detalhes, como era o curso, o contexto do mercado de trabalho, os principais professores, os formados ilustres e todos aqueles que participaram desse período da arquitetura paulista gerada na Escola Politécnica, desde o início do curso em 1895 até a o meados dos anos 50...[+]

 

PATEO DO COLLEGIO - CORAÇAO DE SAO PAULO

Hernani Donato
Loyola
2008

Ao convencerem os caciques Tibiriçá e Caiubi a mudarem suas tabas para as proximidades dos rios Anhangabaú e Tamanduateí, os jesuítas dão início à construção, em 25 de janeiro de 1554, do colégio que é o marco da fundação de São Paulo. A cidade tem assim seu início em um projeto educativo. O jornalista e historiador Hernani Donato faz um detalhado relato dos acontecimentos fundadores em 'Pateo do Collegio - Coração de São Paulo'. Discute quem são os fundadores, além de Nóbrega e Anchieta, e o processo de fundação, que se estende até 1560. Mas o autor não se limita aos primeiros anos e acompanha a história de um dos principais e mais importantes símbolos de São Paulo até 2007. 'Pateo do Collegio - Coração de São Paulo', fartamente ilustrado com imagens do acervo da própria instituição...[+]

 


História da Escola de São Paulo e do Brasil

História da Escola de São Paulo e do Brasil

Maria Luiza Marcílio
IMESP
2014

Pelas avaliações internacionais (UNESCO e PISA), o Brasil vem sendo colocado nas últimas posições em educação, mesmo dentre nações bem mais pobres. As explicações para essa triste situação devem ser buscadas particularmente na História do país, em sua longa duração. Foi esse o trabalho realizado pela autora, em pesquisas que efetuou em arquivos e bibliotecas do Brasil e do exterior, somadas a testemunhos orais e a variada iconografia. O esforço foi de resgatar a escola em seu cotidiano, com os autores que a compuseram ao longo dos cinco séculos, desde quando os jesuítas aqui fincaram os primeiros alicerces dos colégios, no inicio da colonização portuguesa. Expulsos os padres da Companhia de Jesus, foi criada a escola pública. Sua evolução foi acompanhada com seus alunos, seus professores, os métodos de ensino, o material escolar introduzido de forma precária e lenta. Só com a República, e ao longo do século XX, é que de fato, o Brasil conheceu o sistema escolar montado dentro do modelo do Ocidente, articulado desde a pré-escola até o curso ginasial e depois médio, com seus avanços e recuos e a partir de São Paulo de onde se difundiu por todo o país. O Brasil chega ao final do milênio com praticamente todas suas crianças na escola, mas ainda não conseguiu ultrapassar o desafio da péssima qualidade do ensino, em todos seus níveis. Esta obra procura dar reconstruir a evolução da escola de base em toda a História do Brasil. O objetivo inscreve-se, igualmente, na busca de explicação do atraso da qualidade da educação nacional...[+]

 


BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos
EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A
SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento
1984

 

Edição usada disponível na
Estante Virtual

 

home      moyarte      não-diário      contato