Texto e Fotografias de Mônica Yamagawa


centro de são paulo


história da arte


mundo digital


patrimônio cultural

Patrimônio da metrópole paulistana

Margarida Cintra Gordinho
Iatã Cannabrava
Terceiro Nome
2010

Este livro apresenta, com fotos e textos, os bens tombados pelo Condephaat na cidade de São Paulo e em sua região metropolitana. Com ele, procuramos contribuir para amplir a possibilidade desses bens serem conhecidos, admirados e preservados, mantendo vivas as memórias e histórias que ajudam a construir nosso futuro...[+]

 


Patrimônio Cultural Paulista
CONDEPHAAT
Bens Tombados
1968 - 1998

Edna Hiroe Miguita Kamide
Terza Cristina Rodrigues Epitácio Pereira
Imesp
1998

 

Informações sobre os bens tombados pelo CONDEPHAAT até o ano de 1998.

 

Edição usada disponível na Estante Virtual

 



Esculturas no Espaço Público em São Paulo

Miriam Escobar
CPA – Consultoria de Projetos e Artes
1998

São Paulo vista através de seus caminhos e os lugares por onde eles passam. Foi assim que a arquiteta Miriam Escobar organizou este seu trabalho em que as esculturas estão dispostas por esses lugares e como que olhando quem passa. Uma referência de coisa viva onde caminho, lugar e escultura afirmam o espaço dos homens como sendo mais do que um fluxo onde não há tempo a perder ou uma operação mecânica a se realizar. Cada objeto anotado fala do que se homenageia e, mais que isto, marca com a sua presença um sentido possível a ser assumido por quem passa e nota.  A experiência transmitida vem dos tempos de criança, de andanças primeiras por esta cidade que muda tanto. Traz o envolvimento e a sedução de olhos encantados que tudo registram. Vem daí a satisfação imensa que estes registros fotografados provocam. É um olhar de afetividades profundas que procura tudo mostrar, mas que não interfere em nada. É a cidade sempre presente pelos gradis de proteção, pelos carros, pelas gramas e plantas do jardim. As localizações em plantas gráficas vão informando onde se...[+]  

Edição usada disponível na Estante Virtual

 


BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos, EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A e SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento, 1984.BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos
EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A
SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento
1984

 

Edição usada disponível na Estante Virtual

 

CENTRO DE SÃO PAULO

ADOTE UMA OBRA ARTÍSTICA

apoio da iniciativa privada na conservação física de obras e monumentos artísticos em espaços públicos da
cidade de São Paulo

atualizado em: 6 de outubro de 2016

 

home > centro de são paulo > ADOTE UMA OBRA ARTÌSTICA

Com o intuito de buscar o apoio da iniciativa privada na conservação física de obras e monumentos artísticos em espaços públicos da cidade de São Paulo, foi criado o programa Adote uma obra artística, pelo Decreto no 34.511, de 8 de setembro de 1994.

Desde então, algumas obras já foram contempladas por adoção e restauradas: O Monumento às Bandeiras, de Victor Brecheret e as esculturas 14 Bis80 Anos de Imigração Japonesa, de Tomie Ohtake, entre outras. Em 2008, a Votorantim adotou 30 monumentos. 

Atualmente, o Monumento em Homenagem as Vítimas do Genocídio de 1915, localizado na Praça Armênia, está adotado pelo Banco Induscred.

Os procedimentos para a adoção de obras artísticas seguem o disposto no Decreto nº 52.062, de 30 de dezembro de 2010, que trata da celebração de Termos de Cooperação com a iniciativa privada.

 

Como adotar?

Os interessados em colaborar com o programa devem encaminhar uma carta de Intenção de Adoção ao Departamento do Patrimônio Histórico da Secretaria Municipal de Cultura, com a apresentação do adotante e a identificação da obra a ser adotada.

Caso o interessado seja uma pessoa física, precisará apresentar cópia do RG e do CPF e comprovante de residência. Pessoas jurídicas deverão apresentar cópia do contrato social da empresa, cópia do CNPJ e Certidão CND e FGTS, cópia do RG e CPF do representante da empresa.

Em envelope lacrado, deverá ser apresentado o projeto de conservação e restauro da obra a ser adotada, contendo os seguintes itens:

Uma vez entregues a carta, os documentos e o envelope lacrado ao DPH, este providenciará sua autuação e fará constar do processo o recebimento do envelope. No prazo máximo de sete (7) dias, o DPH deverá publicar um comunicado no Diário Oficial da Cidade, dando conhecimento público da carta de intenção de doação, bem como do proponente e da obra a ser adotada. A partir da data da publicação, abre-se um prazo de três (3) dias para que outras pessoas manifestem seu interesse em adotar a mesma obra, nos mesmos moldes descritos acima.

Decorrido o prazo sem a manifestação de outros interessados, o envelope será aberto e seu conteúdo juntado ao processo. Em seguida, a proposta será analisada pela área técnica do DPH. Se aprovada a proposta, o processo, acompanhado de minuta de termo de cooperação, será encaminhado pelo Secretário de Cultura a uma Subcomissão da CPPU (Comissão Permanente de Proteção à Paisagem Urbana). Obtida a anuência da Subcomissão, o processo seguirá para a autorização do Prefeito e, em seguida, retornará à Secretaria Municipal de Cultura para a assinatura do termo de cooperação pelo Secretário, válido por um prazo máximo de três anos.

Caso haja mais de um interessado em adotar a mesma obra e que tenha apresentado a documentação necessária, ao serem abertos os envelopes lacrados, será aprovada a proposta que melhor atenda ao interesse público, considerados os seguintes critérios: 

I - o valor dos investimentos referentes aos serviços e/ou obras a serem promovidos pelo proponente;

II - proposta de redução da área de exposição permitida nas mensagens indicativas de cooperação.

Em caso de empate, a proposta será escolhida por meio de sorteio realizado em sessão pública.

Sempre que necessário, será solicitada procuração da empresa estabelecendo representante legal, pessoa física ou jurídica, junto ao DPH/SMC para fins de contatos técnicos. Anexar cópias do contrato social, do CNPJ, RG e CPF do representante, conforme o caso.

Assim que o prazo de validade do termo de cooperação se encerrar, não há possibilidade de renovação automática, devendo o interessado apresentar nova proposta.

Enquanto o termo de cooperação estiver em vigor, o adotante poderá manter uma placa, junto ao monumento, informando sobre a “adoção”, placa esta de dimensões não superiores a 21cm x 30 cm. O projeto de implantação da placa bem como seu conteúdo devem ser previamente aprovados pelo DPH e pela CPPU.

Durante o período de execução das obras de restauração, o tapume utilizado poderá conter informações sobre a adoção/adotante, com base em projeto previamente aprovado pelo DPH e pela CPPU.

Serviço:
Secretaria Municipal de Cultura
Departamento do Patrimônio Histórico
Telefone: 3331-3813 ou e-mail: dphgabinete@prefeitura.sp.gov.br

 

Relação de obras de arte prioritárias para inclusão no programa Adote uma Obra Artística (clique para acessar a listagem).

 

FONTE: Departamento do Patrimônio Histórico / Prefeitura Municipal de São Paulo

home      moyarte      não-diário      contato