Moyarte. Mônica Yamagawa.
Mônica Yamagawa
Home: página inicialMoyarte: perfil no FacebookMoyarte: perfil no InstagramMoyarte: perfil no Twitter
contato@moyarte.com.br

Centro de São Paulo

Avenida São Luís

logradouros do centro de são paulo

atualizado em: 12 de outubro de 2020

 

home > logradouros > Avenida São Luís

 

No século XVIII a atual Avenida São Luís era conhecida como "Beco Comprido". De acordo com o Dicionário de Ruas, esse logradouro aparece no desenho do mapa elaborado em 1810, porém, sem informações do seu nome.

Em outro mapa, datado de 1881, o logradouro aparece como "Rua São Luís". A escolha do nome, segundo o dicionário mencionado foi escolhido pela família de "Luís Antônio de Souza Queirós - Brigadeiro Luís Antônio, proprietário de uma chácara na região, entre as atuais Avenida São Luís, Rua 7 de Abril, Praça da República. A avenida foi aberta no antigo terreno de sua propriedade. Ao falecer em 1819, seu filho, Francisco Antônio de Souza Queirós - Senador Queirós - herdou a propriedade, porém, sem residir no local. São Luís era o santo de devoção do Brigadeiros Luís Antônio, assim sendo, foi escolhido para o nome do logradouro por volta de 1860. O Senador Queirós, filho do Brigadeiro faleceu em 1897. A chácara da família foi divida em propriedades menores e, posteriormente, vendidas.

[+] conheça a história de outros
logradouros do centro de são paulo

 

 

1810

O logradouro aparece em um mapa de 1810 - Planta da Imperial Cidade de São Paulo" (copiada por Rufino José Felizardo e Costa em 1841) -, porém, no mesmo não foi registrado o seu nome (no século XVIII era conhecido como "Beco Comprido" e aparece como "Rua São Luís", em um mapa de 1881.

 


1848

Segundo José Eduardo de Assis Lefrève, em sua obra "De Beco a Avenida: a história da Rua São Luís" (Editora Edusp, 2006), nas pesquisas de Ernani Silva Bruno é mencionado uma Ata da Câmara Municipal de 1848, na qual já consta o nome "Beco de São Luiz".

 


1819

Falece o Brigadeiro Luís Antônio e a propriedade é herdada por seu filho o futuro Senador Souza Queirós - que não utiliza a propriedade como residência, apenas utilizando a sede em temporadas.

 


1860

Por volta de 1860, o nome do logradouro foi denominado como "Rua de São Luís", em homenagem ao santo de devoção do Brigadeiro Luís Antônio.

 


1881

O nome "Rua São Luis" aparece no mapa da Companhia Cantareira e Esgotos - 1o. registro do nome em logradouro em mapas existentes de São Paulo.

 


1897

Com a morte do Senador Souza Queirós, herdeiro do Brigadeiro Luis Antônio, a chácara é dividida em lotes e estes colocados à venda.

 


1900

Dona Ana Cintra adquire um dos lotes que faziam parte da antiga Chácara do Brigadeiro Luís Antônio

 


1910

Cúria Metropolitana adquire um dos lotes pertencentes à antiga Chácara do Brigadeiro Luís Antônio e transfere a sede do Arcebispado para o local (Palácio São Luís).

 


1916

Legislação: Ato nº 972, de 24.08.1916, denominação do logradouro como "Rua São Luis".

 


1920

Circolo Italiano adquire um dos lotes da antiga Chácara do Brigadeiro Luís Antônio, local onde mais tarde seria construído o Edifício Itália.

 


1944

A rua é alargada e denominada "Avenida São Luís".

 


1945

Inaugurado o Edifício São Luís.

 


1954

3 de julho: Denominação do logradouro oficializada através da Lei nº 4.518, de 03 de julho de 1954.

 

 

 

referências bibliográficas

DICIONÁRIO DE RUAS. Arquivo Histórico Municipal de São Paulo. Disponível em: <https://dicionarioderuas.prefeitura.sp.gov.br/>. Acesso em: 12 Out. 2020.

LEFÈVRE, José Eduardo de Assis. De beco a avenida: a história da Rua São Luiz. São Paulo: EDUSP, 2006.

 

 

dicionário do centro de são paulo

[clique nas letras para acessar a listagem de verbetes disponíveis]

 

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

Q

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

 

 

Este livro mostra o processo de transformação sofrido por uma das mais belas ruas da cidade de São Paulo, a São Luiz, traçando um painel histórico desde sua origem como Becco Comprido, até chegar à atual avenida. Retrata a maneira de morar de família s da elite paulistana, os primeiros moradores da área, e a evolução urbana que rompeu com o padrão residencial de seus palacetes, dando lugar à verticalização e ao alargamento da rua. Aponta como possíveis causas das modificações projetos de urbanização que levaram em conta a necessidade de ampliação das vias para facilitar a circulação, principalmente, de automóveis. Relaciona ainda a configuração espacial do centro de São Paulo com a estrutura socioeconômica paulistana, baseando-se em diversas fontes, como plantas da cidade, projetos arquitetônicos, fotografias, documentos e entrevistas. O volume é ilustrado com imagens de satélite, plantas de edificações, fotos antigas e atuais.

história do centro de são paulo: cronologia

Informações sobre a história do Centro de São Paulo organizadas por séculos e divididas por décadas para facilitar a pesquisa.

[+] leia mais

história do comércio do centro de são paulo

Informações sobre estabelecimentos comerciais, bancários, educacionais e outros relacionados ao setor terciário, que existiram no Centro de São Paulo, assim como, estabelecimentos históricos que ainda funcionam na região.

[+] leia mais

dicionário online sobre o centro de são paulo

Verbetes sobre o Centro de São Paulo: moradores, estabelecimentos comerciais, edificações, entre outros.

[+] leia mais

história dos logradouros do centro de são paulo

Informações sobre os logradouros localizados no Centro de São Paulo, incluindo os que desapareceram com as alterações urbanas realizadas desde a fundação da cidade.

[+] leia mais

biblioteca online sobre o centro de são paulo

Indicações de livros, artigos, sites, vídeos sobre o Centro de São Paulo.

[+] leia mais

patrimônio cultural do centro de são paulo

Informações sobre bens tombados, legislação, tombamento do Iphan, Condephaat e Conpresp. Notícias sobre os bens tombados. Projetos de requalificação urbana e preservação do patrimônio cultural tombado.

[+] leia mais

home            sobre o moyarte            contato