Texto e Fotografias de Mônica Yamagawa


centro de são paulo


história da arte


mundo digital


patrimônio cultural

Dicionário de história de São Paulo

Antonio Barreto do Amaral
Imesp
2006

'A Coleção Paulística' trata de diversos aspectos da História do Estado de São Paulo, de sua formação e cultura, de alguns de seus municípios e de algumas de suas personalidades. Disponibiliza-se, assim, a pesquisadores e estudiosos da história de São Paulo, bem como ao público em geral. Os exemplares selecionados, escritos por nomes relevantes da prosa paulista, cobrem desde a saga dos Bandeirantes até a história dos teatros paulistas, destacando-se o 'Dicionário de História de São Paulo'...[+]

 


História da Cidade de São Paulo Através de Suas Ruas

Antônio Ridrigues Porto
Carthago
1996

A finalidade principal desta obra é divulgar fatos da história da cidade de São Paulo, através de uma síntese da vida paulistana em período superior a quatro séculos, chegando até os dias atuais. O autor retrata os costumes do povo, a sua religiosidade e os grandes acontecimentos locais. Tudo isso através da história dos logradouros públicos da cidade...[+]

Edição usada disponível na Estante Virtual

 


Memória e Templo das Igrejas de São Paulo

Diana D. Danon e Leonardo Arroyo
IBEP
2010

Em 'Memória e tempo das igrejas de São Paulo', os desenhos de Diana Dorothèa Danon buscam captar todo o valor artístico de espaços sagrados. Com sensibilidade, a autora registra construções que datam do século XVI ao XX. São dezenas de construções contempladas em mais de 50 desenhos de valor documental e artístico. Já os textos de Leonardo Arroyo são uma verdadeira viagem pela história dessas igrejas e relatam fatos pitorescos ligados aos costumes da época...[+]

 


CADERNOS CIDADE DE SÃO PAULO: PRAÇA DA SÉ

São Paulo: Instituto Itaú Cultural, 1993.

 


Catedral da Sé

Fernando Piccinini Jr.
IMESP
2004

O livro traz fotos da Catedral, com legendas, revelando as colunas majestosas, os reflexos coloridos dos vitrais caindo sobre elas, as retas, os arcos, a religiosidade profunda em cada página...[+]

 


site interessante

Catedral Metropolitana de São Paulo

No ano de 1588, os moradores da pequena vila de São Paulo do Campo disputavam com os jesuítas a permissão do poder real para construir uma Igreja Matriz. A permissão só veio em 1591 e a construção iniciou-se em 1598 e foi finalizada em 1612. Com a transformação de vila em cidade em 1740, a Capitania de São Paulo tornou-se a sede Episcopal e com isso a matriz teve o seu verdadeiro valor. Contudo a Igreja estava bastante destruída pela passagem do tempo e foi demolida para o início da construção do templo que temos atualmente... [+]

 

CENTRO DE SÃO PAULO

CATEDRAL DA SÉ:

DETALHES DA PORTA DE

ENTRADA

praça da sé

atualizado em: 6 de junho de 2016

 

home > centro de são paulo > CATEDRAL DA SÉ: PORTA

Em 1912, após reunião com os moradores locais, o arcebispo D. Duarte Leopoldo e Silva constituiu uma comissão para arrecadar fundos para a construção de um novo templo para a cidade.

Após negociações entre a Mitra e a Câmara Municipal, em abril de 1913, foi registrada em escritura pública o endereço da nova catedral paulistana: a área entre as ruas Marechal Deodoro e Capitão Salomão (os dois logradouros não existem mais, pois, foram incorporados à area, atualmente, conhecida como Praça da Sé).

O projeto para o novo templo ficou a cargo de Maximiliano Hehl e as construções levaram mais de 40 anos. Em 1954, a catedral foi inagurada, incompleta, para as comemorações do IV Centenário da Fundação da Cidade de São Paulo.

 

Evangelistas e Profetas da Sé

Segundo Leonardo Arroyo, em sua obra "Igrejas de São Paulo", as quatro esculturas do lado direito da porta de entrada da Catedral da Sé, são imagens dos evangelistas: São Mateus, São Marcos, São Lucas e São João. Os escritos de São Mateus, São Marcos e São Lucas, apresentam Jesus como uma personagem humana que se destaca pelas ações milagrosas, já o Evangelho de João descreve um Jesus como um Messias com um carácter divino, que traz a redenção absoluta ao mundo. As do lado esquerdo estão os profetas: Isaías, Jeremias, Ezequiel e Daniel "recordando o judaísmo nas figuras históricas que predisseram a vinda do Messias" [1] . As oito esculturas foram modeladas por F. Frick.

[1] AMARAL, Antonio Barreto do. Dicionário de história de São Paulo. São Paulo: IMESP, 2006, p.168-169.

 

São Paulo Conheceu Três Praças da Sé

A primeira "Praça da Sé" não passava de um largo em frente à Antiga Igreja Matriz de onde partiam as Ruas Direita e do Rosário (atual Rua 15 de Novembro).

Em 1911, foram demolidas a Igreja de São Pedro (no local, atualmente, encontra-se o Edifício da Caixa Econômica Federal), a Antiga Igreja da Sé e eliminados dois quarteirões para a criação da segunda praça e a construção de uma nova catedral para a “capital do café”, construção essa que se estendeu por vários anos, até a década de 1950, quando novos projetos de reurbanização do espaço foram elaborados visando às comemorações do IV Centenário de São Paulo (1954).

Na década de 1970, com a construção do metrô, o Palacete Santa Helena e o quarteirão que separava as Praças da Sé e Clóvis Bevilácqua foram eliminados e a união da área gerou a atual Praça da Sé, com suas esculturas e seus espelhos d’água.

home      moyarte      não-diário      contato