Website de Mônica Yamagawa

EDIFICAÇÃO DO

QUADRILÁTERO DA SÉ

rua floriano peixoto, 54/64
rua roberto simonsen, 97/101
rua wenceslau brás, 61/67

história do centro de são paulo

atualizado em: 25 de setembro de 2017

 

home > centro de são paulo > verbetes individuais > EDIFICAÇÃO DO QUADRILÁTERO DA SÉ

A Caixa Econômica Federal é proprietária de 90% dos imóveis (alguns de valor histórico), na área conhecida como "Quadrilátero da Sé". Algumas dessas edificações possuem fachadas protegidas pelo órgão municipal de proteção ao patrimônio arquitetônico (CONPRESP). Segundo o site da CEF,

"pela obsolescência ou inadequação arquitetônica, os prédios são impróprios para a utilização por escritórios modernos, motivo pelo qual têm pouca atratividade comercial. Estão sendo estudadas possibilidades de reciclagem da área, com a recuperação dos imóveis para funcionamento de instalações da CAIXA e de atividades culturais e de dois prédios para uso residencial."

Em 2004, a Caixa Econômica Federal, para as comemorações do aniversário de 450 anos de São Paulo, entregou as fachadas restauradas, dessa edificação, localizadas entre as Ruas Wenceslau Brás, Roberto Simonsen e Floriano Peixoto, nas proximidades do Solar da Marquesa e da Casa Número 1: 

"O projeto de revitalização do quadrilátero envolve, ainda, a recuperação dos edifícios da rua Floriano Peixoto, 54/64 (construído em 1897), Roberto Simonsen, 97/101 e 85/89, e Wenceslau Brás 61/67, construídos nos primeiros 25 anos do século passado.

Ligando as construções, será criada uma praça interna para circulação de pedestres. No total, o complexo cultural (são nove prédios e um estacionamento) terá cerca de 4.000 m² de área. As obras estarão concluídas até 2005, com um investimento total de R$ 20 milhões."

Essa edificação, abrigou, no passado, a primeira policlínica da cidade. Segundo informações divulgadas pela Caixa Econômica Federal, em 2004:

"Os próximos passos do projeto prevêem ainda a expansão do edifício da Praça da Sé, 111, para concentração de várias áreas operacionais da CAIXA em um único local; a recuperação dos edifícios da Roberto Simonsen 85/89, Floriano Peixoto 54/64, e Wenceslau Brás 61/67. Com o projeto, todo o local terá um novo aspecto. Abrigará o novo Conjunto Cultural da CAIXA em São Paulo, com museu, teatro, galeria de arte e áreas de convivência; além de um edifício residencial que será erguido no endereço, dentro do Programa de Arrendamento Residencial - PAR, como forma de atender às diversas demandas por moradia no centro da cidade. Ligando as construções, será criada uma praça interna para circulação de pedestres. No total, o complexo cultural terá cerca de 4 mil m² de área e até 2005 todas as obras estarão concluídas, com um investimento de R$ 20 milhões."

As construções que compõe o Quadrilátero da Sé são:

  • Rua Roberto Simonsen, 97/101: Considerada uma das belas construções do centro histórico, abrigará o Museu da Caixa.
  • Rua Floriano Peixoto, 40/44 e 48/50: Está prevista a demolição dos prédios e a construção de edifício comercial no local.
  • Rua Floriano Peixoto, 54/64: Terá a fachada restaurada. No local, serão construídos um teatro para 200 pessoas, anfiteatro com 60 lugares e salão permanente de exposições.
  • Rua Roberto Simonsen, 85/89: Construção de empreendimento habitacional, decorrente de reforma com 8 a 12 unidades habitacionais, e térreo de uso institucional.
  • Rua Wenceslau Brás - terreno: Fará parte do Conjunto Cultural da Caixa.

 

Dados técnicos da edificação

Número de Pavimento: três.

Técnica Construtiva: alvenaria de tijolos.

Histórico: Construído pela Sociedade de Medicina e Cirurgia de São Paulo, fundada em 1895. No prédio funcionou, durante anos, a Policlínica da sociedade.

 

Conpresp

Trechos do documento de tombamento, referentes a edificação:

DECRETO Nº 19.835, DE 10 DE JULHO DE 1984

II – Nível de preservação 2(P2) : para edifícios cuja arquitetura externa deva ser preservada, admitidos os reparos externos relacionados no item I, podendo ser objeto de reformas internas compatíveis com a preservação externa;

Z8-200-002

3. Edifícios classificados como P2:

b) rua Roberto Simonsen, n°s
13, 17, 25 e 31 (S2, Q73, L2);
85 e 89, (S2, Q68, L7);
97 e 101, (S2, Q68, L6);
109 e 119, (S2, Q68, L5) e rua Floriano Peixoto n°s 54, 60 e 64;
94 e 98, (S2, Q59, L47);

CENTRO DE SÃO PAULO

BIBLIOGRAFIA


CAPITAL - SAO PAULO E SEU PATRIMONIO ARQUITETONICO

Juan Esteves
Antonio Carlos Abdalla
Imesp
2013

'A Secretaria de Estado da cultura de São Paulo tem imensa satisfação em apoiar a reedição do livro 'Capital - São Paulo e seu patrimônio arquitetônico, de Juan Esteves. Com curadoria de Antonio Carlos Abdalla, o conjunto de fotografias selecionadas oferece um amplo panorama da diversidade de edifícios de distintas naturezas que marcaram a capital paulista ao longo de sua história, especialmente os últimos 100 anos. Colocado em evidência no magistral registro de Juan Esteves, o patrimônio arqutetônico paulistano pode aqui ser apreciado nos detalhes que acabam por ficar invisíveis em meio à agitação cotidiana da metrópole. Ao dar merecida visibilidade aos edifícios retratados, esta publicação ajuda a sensibilizar para a necessidade de preservação desse patrimônio, uma importantíssima e difícil tarefa, que precisava envolver toda a sociedade.' - Marcelo Mattos Araujo...[+]

 

BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos
EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A
SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento
1984

 

Edição usada disponível na
Estante Virtual

 


ARQUIVO HISTORICO DE SAO PAULO
HISTÓRIA PÚBLICA DA CIDADE

Eudes Campos
Imesp
2011

Seleção de manuscritos, mapas, plantas, desenhos técnicos e fotografias, escolhidos dentre os mais de 4 milhões de itens pertencentes ao acervo do 'Arquivo Histórico de São Paulo', este livro busca compor um mosaico da história da cidade e ressalta a importância da conservação deste patrimônio diante dos desafios de compreensão do seu futuro...[+]

 

home      moyarte      não-diário      contato