Centro de São Paulo: Guarany - Monumento a Carlos Gomes

Website de Mônica Yamagawa

GUARANY

MONUMENTO A CARLOS GOMES

escultura de luiz brizzolara
praça ramos de azevedo

história do centro de são paulo

atualizado em: 27 de setembro de 2017

 

home > centro de são paulo > verbetes individuais > GUARANY

A escultura "Guarany" faz parte do "Monumento a Carlos Gomes", localizado na Praça Ramos de Azevedo, centro de São Paulo. É de autoria do artista italiano Luiz Brizzolara e foi executada pela Camiami e Guastini - Fonderia Artistica in Bronzo (Pistóia, Itália).

Para as comemorações do Centenário da Independência, em 1922, representantes da colônia italiana, em São Paulo, financiaram a realização do Monumento a Carlos Gomes, uma homenagem ao músico e compositor brasileiro que, em 1863, compôs "Joana de Flandres", uma ópera que lhe valeu uma bolsa de estudos na Itália.

O monumento foi concebido para conectar a praça aos "jardins" do Teatro Municipal. Na época, a área onde hoje se encontra o monumento era conhecida como "esplanada do teatro", parte integrante do então "parque" do Anhangabaú, projeto do francês Joseph Antoine Bouvard.

O "Monumento a Carlos Gomes" é composto por várias esculturas, implantadas em vários planos; a intenção do escultor era criar a sensação de palco, utilizando os jardins como parte do cenário e o Vale do Anhangabaú como área da platéia.

A escultura representando Carlos Gomes encontra-se na altura da calçada, em frente ao Teatro Municipal; do seu lado estão duas alegorias: "Poesia" e "Música", em mármore branco. Descendo, em direção ao Vale do Annhangabaú, nas pontas das escadas, uma de cada lado, estão "Fosca" e "Condor". No centro, entre as escadas, está a fonte "Glória, Ordem e Progresso" e em suas laterais, as esculturas "Lo Schiavo" e "Maria Tudor". Abaixo, em um terceiro plano, estão "Guarani" e "Salvator Rosa" e as alegorias em homenagem à Itália e ao Brasil.

"Brizzolara imprimiu às esculturas deste monumento uma linguagem dramática mais acentuada no gesto do que no rebuscamento ou nos exageros dos tratamentos das superfícies das massas. As esculturas foram dispostas sobre pedestais de altura mínima e representadas com dimensõesque equivalem a uma vez e meia a escala humana. Estas características conferem um grau de aproximação sensível entre obra e observador. Queremos dizer, que não há uma busca de monumentalidade nas esculturas individualmente, o que reforça a ideia de conjunto e que nos conduz a conceber a obra de Carlos Gomes como um todo."

[ESCOBAR, Miriam. Esculturas no Espaço Público em São Paulo. São Paulo: CPA – Consultoria de Projetos e Artes, 1998, p.41.]

CENTRO DE SÃO PAULO

BIBLIOGRAFIA



Italianos no Brasil:
“Andiamo in’Mérica”

Franco Cenni
Edusp
2003

Em janeiro de 1960, Franco Cenni ganhou o Prêmio Itália, no concurso promovido pela Companhia Antarctica Paulista, cuja comissão julgadora era composta pelos professores Sérgio Buarque de Holanda, Antonio Candido de Mello e Souza, Sérgio Milliet da Costa e Silva, Edoardo Bizzarri e pelo poeta Guilherme de Almeida. Esse concurso, instituído por ocasião da visita do então presidente italiano Giovanni Gronchi ao Brasil, reuniu obras literárias sobre a presença do italiano na história e no desenvolvimento do país, e constitui a base para este livro - 'Italianos no Brasil'...[+]

 


Esculturas no Espaço Público em São Paulo

Miriam Escobar
CPA – Consultoria de Projetos e Artes
1998

São Paulo vista através de seus caminhos e os lugares por onde eles passam. Foi assim que a arquiteta Miriam Escobar organizou este seu trabalho em que as esculturas estão dispostas por esses lugares e como que olhando quem passa...[+]  

Edição usada disponível na

 


Guia Fique Em São Paulo no Fim de Semana

Adriana Salles Gomes
Fernando Moreira Leal
Publifolha
2001

Este guia turístico da cidade de São Paulo e seus arredores ajuda o visitante ou o paulistano a descobrir o que a cidade tem de especial, de uma maneira organizada e rápida, com mais de 200 passeios selecionados de acordo com o gosto do leitor. São 20 menus de interesse - que vão do ecoturismo a uma relação de programas gratuitos ou abertos 24 horas. Os menus incluem também parques e jardins; esportes e atividades ao ar livre; compras; história; arquitetura e arte pública; festas e tradições; curiosidades; museus; comidas e bebidas; hotéis e motéis; cursos; vida noturna; roteiros e passeios; São Paulo multicultural; artes e espetáculos; saúde e beleza e calendário com atrações organizadas por tema, além de uma relação por programas, dispostos em ordem alfabética ...[+] 

Edição usada disponível na
Estante Virtual

 

Dicionário de história de São Paulo

Antonio Barreto do Amaral
Imesp
2006

'A Coleção Paulística' trata de diversos aspectos da História do Estado de São Paulo, de sua formação e cultura, de alguns de seus municípios e de algumas de suas personalidades. Disponibiliza-se, assim, a pesquisadores e estudiosos da história de São Paulo, bem como ao público em geral. Os exemplares selecionados, escritos por nomes relevantes da prosa paulista, cobrem desde a saga dos Bandeirantes até a história dos teatros paulistas, destacando-se o 'Dicionário de História de São Paulo'...[+]

 


TODOS OS CENTROS DA PAULICEIA

Levino Ponciano
Senac SP
2007

Os detalhes da formação da megalópole mostrados neste livro não são os relatados pela história oficial; são os anotados pelos passantes que chegaram a observar um 'mau humor' típico da população local, supostamente causado pelo clima e os registrados pelos próprios habitantes. Detalhes que vão desde hábitos do dia-a-dia (como o de apreciar formigas assadas, saborosa iguaria de antigamente) a peculiaridades sobre moradores que ficaram famosos e curiosidades acerca de prédios hoje históricos, ruas, avenidas, bairros inteiros. Com 'Todos os centros da Paulicéia', o leitor fará um city tour de mais de quatro séculos divertido e informativo, surpreendente para todos os paulistanos...[+]

 

home      moyarte      não-diário      contato