Texto de Mônica Yamagawa. Fotografias de Mônica e Andrea Yamagawa


centro de são paulo


história da arte


mundo digital


patrimônio cultural

HISTORIA DOS VELHOS TEATROS DE SAO PAULO

Antonio Barreto do Amaral 
Imesp
2006

A Coleção Paulística trata de diversos aspectos da História do Estado de São Paulo, de sua formação e cultura, de alguns de seus municípios e de algumas de suas personalidades. Publicados em meados do século XX, esses volumes tiveram sua última edição entre as décadas de 1970 e 1980. A reedição revista e atualizada de 5 volumes mostra-se muito oportuna: a coleção está esgotada e os poucos volumes em circulação têm merecido o tratamento de obra rara. Disponibiliza-se, assim, a pesquisadores e estudiosos da história de São Paulo, bem como ao público em geral, importante parte da obra. Os exemplares selecionados, escritos por nomes relevantes da prosa paulista, cobrem desde a saga dos Bandeirantes até a história dos teatros paulistas, destacando-se o importante Dicionário de História de São Paulo...[+]

 


O Theatro Municipal de São Paulo
Histórias Surpreendentes e Casos Insólitos

Vitor Hugo Brandalise
Edison Veiga
Senac
2013

Um arquiteto que projeta o maior e mais sofisticado teatro da cidade em sua época, mas que recusa uma homenagem oferecida pela Câmara Municipal por seus serviços; um produtor cultural que decide impedir a destruição de milhares de livretos de programação teatral reduzidos a entulho do dia para a noite, levando-os para seu próprio apartamento; uma guerra de bolas de papel que eclode no meio de um concerto; uma passeata para exigir que o preço dos ingressos para a ópera seja reduzido; e, como se tudo isso não bastasse, a Semana de Arte Moderna, realizada em 1922. Esses são apenas alguns dos muitos eventos e pessoas cujas histórias estão ligadas ao Theatro Municipal de São Paulo, ao longo de mais de cem anos de existência. 'O Theatro Municipal de São Paulo - histórias surpreendentes e casos insólitos' reúne vários episódios relacionados a essa casa de espetáculos, a maioria deles desconhecidos até mesmo de seus frequentadores mais assíduos. Narrados na forma de crônicas que remetem umas às outras, eles constroem uma história repleta de momentos curiosos, que retratam os motivos por que o teatro é objeto de respeito e apreço por parte do público e dos profissionais que nele atuam...[+]

 


Patrimônio Cultural Paulista
CONDEPHAAT
Bens Tombados
1968 - 1998

Edna Hiroe Miguita Kamide
Terza Cristina Rodrigues Epitácio Pereira
Imesp
1998

 

Informações sobre os bens tombados pelo CONDEPHAAT até o ano de 1998.

 

Edição usada disponível na Estante Virtual

 


Cem Anos de Teatro Em São Paulo

Sabato Magaldi e Maria Thereza Vargas
Senac
2001

A atividade teatral em São Paulo num período que parte do último quarto do século XIX para chegar a 1974 está contada neste livro. Escrito por dois especialistas de grande destaque - o crítico Sábato Magaldi e a pesquisadora Maria Thereza Vargas - e ilustrado por dezenas de fotos, 'Cem anos de teatro em São Paulo' alia a síntese informativa à segurança de opinião...[+]

 


TODOS OS CENTROS DA PAULICEIA

Levino Ponciano
Senac SP
2007

Os detalhes da formação da megalópole mostrados neste livro não são os relatados pela história oficial; são os anotados pelos passantes que chegaram a observar um 'mau humor' típico da população local, supostamente causado pelo clima e os registrados pelos próprios habitantes. Detalhes que vão desde hábitos do dia-a-dia (como o de apreciar formigas assadas, saborosa iguaria de antigamente) a peculiaridades sobre moradores que ficaram famosos e curiosidades acerca de prédios hoje históricos, ruas, avenidas, bairros inteiros. Com 'Todos os centros da Paulicéia', o leitor fará um city tour de mais de quatro séculos divertido e informativo, surpreendente para todos os paulistanos...[+]

 

CENTRO DE SÃO PAULO

TEATRO MUNICIPAL

POSTE DE ILUMINAÇÃO

praça ramos de azevedo

atualizado em: 1 de janeiro de 2017

 

home > centro de são paulo > TEATRO MUNICIPAL: POSTE DE ILUMINAÇÃO

Com a construção do Theatro Municipal de São Paulo, a Light, empresa canadense, encontrou uma ótima oportunidade para divulgar os seus produtos e serviços para a cidade. A companhia não somente iluminou “cenograficamente” edificação, na noite de sua inauguração, como projetou postes ornamentais exclusivos para o teatro.

Segundo a pesquisa produzida pela Fundação de Energia e Saneamento/Museu da Energia de São Paulo, os modelos de madeira dos postes foram entalhados por Affonso Adinolfi, para, depois, serem elaboradas as peças em ferro e bronze:

 

 

 

Os postes do Theatro Municipal fizeram sucesso com a população e deram prestígio à empresa. Em 1929 a Light assinou um contrato com o governo, obtendo “predomínio definitivo no setor de iluminação pública por eletricidade”. [Gonçalves, Funchal, 2003, p.24-25]. Energia elétrica, na época, era sinal de progresso e a instalação dos postes, um evento para os moradores:

“Os postes na época começam a chamar atenção de todos os paulistanos e viraram um de seus assuntos principais. Conforme os postes iam sendo instalados, criavam muita movimentação na cidade e os esqueletos causavam um desconforto para as pessoas, pois esses não apresentavam beleza a cidade sem seus componentes externos como: a ornamentação e as luminárias, instalados posteriormente.

Quando a novidade chegou, efetivamente, os paulistanos se renderam ao fascínio dos inúmeros postes na cidade e da nova iluminação. Elegantes e eficientes exalavam tecnologia e arte.

 

 

Aos poucos alguns postes recebiam mais braços e suspensões, com luminárias ou arandelas, eram de madeira aparelhada ou de ferro, pouco também feitos de trilhos adaptados. Os ornamentos e anéias dos postes escondiam a parte inferior do fuste e as junções.”

[GONÇALVES, Michele, FUNCHAL, Cintia. Postes de Iluminação: a memória da iluminação pública de São Paulo. Monografia apresentada ao curso de Desenho Industrial. São Paulo: Universidade São Judas Tadeu, 2013, p.25.]

 

Leia também:

 

Fotografia de Mônica YamagawaTEATRO MUNICIPAL FACHADA

O Theatro Municipal de São Paulo foi construído pelo Escritório Ramos de Azevedo, com projetado assinado por Domiziano Rossi e Cláudio Rossi. As obras começaram no dia 26 de junho de 1903 e o teatro foi inaugurado em 12 de setembro de 1911...[+]

 

 

Fotografia de Mônica YamagawaMONUMENTO A CARLOS GOMES

As esculturas fazem parte do "Monumento a Carlos Gomes", localizados na Praça Ramos de Azevedo, centro de São Paulo. São de autoria do artista italiano Luiz Brizzolara e foram executadas pela Camiami e Guastini - Fonderia Artistica in Bronzo (Pistóia, Itália)...[+]

home      moyarte      não-diário      contato