Texto e Fotografias de Mônica Yamagawa


centro de são paulo


história da arte


mundo digital


patrimônio cultural

 

Edificação do Antigo Banco do Brasil
Centro Cultural do Banco do Brasil

[CLIQUE nas fotografias para ver outras imagens]

 

CENTRO DE SÃO PAULO

BANCO DO BRASIL

história do comércio do
centro de são paulo

atualizado em: 10 de dezembro de 2016

 

home > centro de são paulo > BANCO DO BRASIL

Notícia publicada no Correio Paulistano de 2 de janeiro de 1856:

"GAZETILHA

Caixa filial

No dia 1o. do corrente anno installou-se caixa filial do banco do Brasil nesta provincia. Os membros da directoria são o Exm. Sr. barão de Iguape presidente da mesma diretoria, o Exm. Sr. Francisco Antonio de Souza Queiroz, Sr. commendador Jobim (? Joaquim) José dos Santos Silva, Exm. Sr. Br. (?) do Tietê, e o Sr. Thomaz Luiz Alves.

Os empregados da caixa são os Srs. José Thomaz Romeiro, gurda livros, Francisco de Assis Pinheiro e Prado tesoureiro, Dr. José Luciano da Silva Barbosa fiel do thesoureiro e cobradis, Dr. João Carlos da Silva Telles 1o. escriptuario e Lourenço Josephino Cardim porteiro e continuo. Ainda não está preenchido o lugar de 2o. escripturario porque tendo-se apresentado tres pretendentes a elle, dependendo a escolha das habilitações que mostrarem, o que se fará por meio de concurso.

São membros da comissõ de emissão o Exm. Sr. presidente da directoria, o director Sr. Thomaz Luiz Alves e o thesoureiro da caixa.

para a comissão de descontos forão nomeados para a primeira quinzena os Srs. senador Queiroz e Santos Silva.

Foi também nomeada uma comissão composta dos Srs. presidente da directoria e senador Queiroz para elaborarem o regimento intrno da caixa.

A taxa para descontos será de 9 por cento."

 

"NOTAS DO BANCO DO BRASIL - No Jornal do Commercio de 25 encontramos:

'Em resposta a uma correspondencia transcripta nesta folha acerca do desconto que soffrem as notas do banco do Brasil em S. Paulo, communicão-nos o seguinte:

As notas do banco do Brasil só são recebidas em pagamento, nas estações publicas da côrte, e provincia do Rio de Janeiro, e portanto só ahi podem pagar todas as funcções do papel do governo, o ter curso como moeda. Os estatutos da caixa filial de S. Paulo impõe porém a este estabelecimento o dever de trocar sem premio ou agio algum, as notas do banco e as notas da caixa filial, que devem ser recebidas nas estações publicas da provincia.

Assim logo que essa caixa fôr instalada, o que deverá ter lugar no 1o. de janeiro do anno proximo, constará (? cobrará) o desconto que soffrem em S. Paulo as notas do banco do Brasil, porque os portadores dellas terão um meio fácil de convertel-as em papel fiduciario, que lerá curso na mesma provincia, na forma da lei que autorisou a organisação do banco.' "

[Correio Paulistano: 2 de janeiro de 1856, p.3-4.]

home      moyarte      não-diário      contato