História do Comércio do Centro de São Paulo: Ferraria Coelho & Marques - 1856

Website de Mônica Yamagawa

FERRARIA

COELHO &C. MARQUES

rua direita

história do comércio do centro de
são paulo

atualizado em: 12 de agosto de 2017

 

home > centro de são paulo > FERRARIA COELHO &C. MARQUES

No anúncio de 1856 (4 de janeiro) no Correio Paulistano, a Ferraria Coelho &c Marques informava no periódico os preços de seus serviços:

"NA ferraria de Coelho &c. Marques, ferra-se cavallos á 1$920, e bestas á 1$800."

[Correio Paulistano, Anno II, Número 352, 4 de Janeiro de 1856.]

No Almanak Paulistano, de 1857, Coelho & Marques aparece como Loja de Ferragens, localizada na Rua Direita.

 

[+] Outros estabelecimentos comerciais que fizeram parte da História do Centro de São Paulo

[Correio Paulistano, Anno II, Número 352, 4 de Janeiro de 1856.]

CENTRO DE SÃO PAULO

BIBLIOGRAFIA


SÃO PAULO - A JUVENTUDE DO CENTRO

Luciano Delion
Pedro Cavalcanti
Conex
2005

Cidades são feitas de vidas humanas e de cimento armado. Evocar o centro de São Paulo nos anos de sua juventude significa trazer de volta não apenas o traçado esquecido de suas ruas e edifícios, como também a trajetória dos homens e mulheres que lá viveram, sonharam e trabalharam. Este livro trata de arquitetos e construtores, e também de revolucionários e administradores, banqueiros e industriais, jornalistas, pintores e poetas, célebres ou modestos, e das marcas materiais e imateriais que deixaram no corpo e na alma da cidade. O período coberto pelo livro, da Proclamação da República ao Quarto Centenário, foi escolhido por representar o que se poderia chamar de juventude do centro, época do apogeu de sua beleza e de seu prestígio...[+]

 

São Paulo Antigo 1554-1910

Antonio Egydio Martins
Paz e Terra
2003

Antonio Egydio Martins foi responsável pela organização do Arquivo do Estado de São Paulo por 30 anos, ao longo dos quais percorreu a documentação em busca dos pormenores da história paulistana. São Paulo Antigo era o título das crônicas que passou a publicar nas páginas do Diário Popular e que caíram no gosto do público, dando origem ao livro, publicado em dois volumes em 1911 e 1912. O livro permaneceu como fonte privilegiada para se conhecer o cotidiano da cidade, tratando de seus personagens, das festas, dos costumes, dos hábitos alimentares, dos governantes, dos jornais, das lojas... São Paulo Antigo é como um baú da história paulistana, ao qual se recorre em busca da informação miúda, do detalhe, da data, dos tipos da cidade, dos pormenores perdidos no rolar do tempo...[+] 

Edição usada disponível na
Estante Virtual

 

home      moyarte      não-diário      contato