Moyarte. Mônica Yamagawa.
Mônica Yamagawa
Home: página inicialMoyarte: perfil no FacebookMoyarte: perfil no InstagramMoyarte: perfil no Twitter
contato@moyarte.com.br

Centro de São Paulo

Acu

endereço

dicionário online sobre o centro de são paulo

atualizado em: 8 de outubro de 2020

 

home > dicionário > Acu

 

Nascente canalizada em 1898. Estava localizada no cruzamento das Ruas Brigadeiro Tobias e Ladeira de Santa Efigênia. Boa parte da antiga Ladeira do Acu é conhecida hoje como Avenida São João.

Sobre o nome Acu:

"Em anos do século XVII, o nome da região era Iacuba, originário do ribeiro cujas nascentes brotavam do atual Largo do Paissandu, para onde afluíam as águas da nascente da Rua Brigadeiro Tobias. Com o correr dos anos o vocábulo foi contraído em Iacum-Guaçu e Acu."

[AMARAL, Antonio Barreto do. Dicionário de História de São Paulo. São Paulo: Imesp, 2006, p.27.]

Maria Vicentina de Paula do Amaral Dick (1996, p.41-42, 211) em suas pesquisas sobre os nomes de logradouros em São Paulo descreve que a área conhecida como Acu, localizava-se na área do Anhangabaú, próximo a arual Avenida São João, na confluência com a Avenida Prestes Maia. A descida da Praça Antônio Prado em direção ao Vale do Anhangabaú era conhecida como Ladeira do Acu - descrita por Affonso de Freitas como uma ladeira íngreme e de difícil acesso, composta de humildes casebres. Havia também uma nascente conhecida pelo nome Bica do Acu, no encontro com a antia Rua do Seminário, que ao unir suas águas com o Tanque do Zunega, desaguava no Anhangabaú. A ponte que existia sobre esse ribeirão, era chamada de Ponte do Acu.

Para Affonso de Freitas, o termo "acu", derivava de "yacuba", "hacu", "iacu" que significava "água venenosa"; já Theodoro Sampaio argmentava que o significado era "quentura, calor quente" (DICK, 1996, p. 41-42). Em 1721, o engenheiro Sanchez D'Orta examinou as águas, descrevendo como resultado: "muitíssima férrea e fria, ácida, vitriólica, base térrea calcária de oca, com algumas partículas arsenais, ainda que tênue e sumamente saturada de gás mefítico" (MOURA, 1980, p.92 apud DICK, 1996, p.42).

 

 

+ saiba mais: logradouros

 

 

referências bibliográficas

DICK, Maria Vicentina de Paula do Amaral. A dinâmica dos nomes na cidade de São Paulo, 1554-1897. São Paulo: Annablume, 1996.

MOURA, Paulo C. de. São Paulo de outrora: evocações da metrópole. Belo Horizonte, MG / São Paulo: Itatiaia / Edusp, 1980.

 

 

verbetes individuais

[clique nas letras para acessar a listagem de verbetes disponíveis]

 

 

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

Q

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

 

 


 

 



história do centro de são paulo: cronologia

Informações sobre a história do Centro de São Paulo organizadas por séculos e divididas por décadas para facilitar a pesquisa.

[+] leia mais

história do comércio do centro de são paulo

Informações sobre estabelecimentos comerciais, bancários, educacionais e outros relacionados ao setor terciário, que existiram no Centro de São Paulo, assim como, estabelecimentos históricos que ainda funcionam na região.

[+] leia mais

dicionário online sobre o centro de são paulo

Verbetes sobre o Centro de São Paulo: moradores, estabelecimentos comerciais, edificações, entre outros.

[+] leia mais

história dos logradouros do centro de são paulo

Informações sobre os logradouros localizados no Centro de São Paulo, incluindo os que desapareceram com as alterações urbanas realizadas desde a fundação da cidade.

[+] leia mais

biblioteca online sobre o centro de são paulo

Indicações de livros, artigos, sites, vídeos sobre o Centro de São Paulo.

[+] leia mais

patrimônio cultural do centro de são paulo

Informações sobre bens tombados, legislação, tombamento do Iphan, Condephaat e Conpresp. Notícias sobre os bens tombados. Projetos de requalificação urbana e preservação do patrimônio cultural tombado.

[+] leia mais

home            sobre o moyarte            contato