Website de Mônica Yamagawa

HISTÓRIA DO

CENTRO DE SÃO PAULO

século XVIII: 1741 - 1750

atualizado em: 28 de agosto de 2017

 

home > centro de são paulo > 1741 - 1750

1740século XVIII: 1741 - 17501751

 

1741:

 

1742:

 

1745:

 

1746:

 

1748:

 

1750:

 

1740século XVIII: 1741 - 17501751

CENTRO DE SÃO PAULO







SÉCULO XXI

2001 - 2010

2011 - 2020

 

BIBLIOGRAFIA


São Paulo Antigo 1554-1910

Antonio Egydio Martins
Paz e Terra
2003

Antonio Egydio Martins foi responsável pela organização do Arquivo do Estado de São Paulo por 30 anos, ao longo dos quais percorreu a documentação em busca dos pormenores da história paulistana. São Paulo Antigo era o título das crônicas que passou a publicar nas páginas do Diário Popular e que caíram no gosto do público, dando origem ao livro, publicado em dois volumes em 1911 e 1912. O livro permaneceu como fonte privilegiada para se conhecer o cotidiano da cidade, tratando de seus personagens, das festas, dos costumes, dos hábitos alimentares, dos governantes, dos jornais, das lojas... São Paulo Antigo é como um baú da história paulistana, ao qual se recorre em busca da informação miúda, do detalhe, da data, dos tipos da cidade, dos pormenores perdidos no rolar do tempo...[+] 

Edição usada disponível na
Estante Virtual

 


HISTORIA DE SAO PAULO COLONIAL

Maria Beatriz Nizza da Silva
Unesp
2009

Esta obra aborda aspectos da história da capitania de São Paulo, abrangendo seus primórdios, quando se chamava capitania de São Vicente e pertencia a donatários; o período mais complexo em que, depois de se denominar capitania de São Paulo e das Minas de Ouro, perdeu grande parte de seu território e passou a estar subordinada ao governo do Rio de Janeiro; e finalmente o período da restauração de sua autonomia até ser agitada pelo movimento constitucional... [+]

 


Os caminhos da riqueza dos paulistanos na primeira metade dos oitocentos

Maria Lucília Viveiros Araújo
Hucitec
2006

O livro trata da formação da capital de São Paulo. Em especial das estratégias de sobrevivências e ascensão social das primeiras gerações de paulistas com projeção 'nacional'. Busca compreender a origem do processo que levou a pequena vila da América portuguesa a tornar-se a maior metrópole da América do Sul. Discorre sobre o lento processo de acumulação de capitais - do mercado de abastecimento ao mercado atlântico - que precedeu o boom cafeeiro. Anallisa as implicações da alta concentração de bens em poucas famílias paulistanas desde o século XVIII, e compara esses dados com os índices recente. Isto é, o livro relata as histórias de vida dos antigos paulistanos e aponta a gênese da exclusão social...[+]

 

home      moyarte      não-diário      contato