Website de Mônica Yamagawa

A: VERBETES

dicionário do centro de são paulo

atualizado em: 4 de setembro de 2017

 

home > centro de são paulo > dicionário do centro de são paulo > A

letra A > letra B

 

ABLAS, CARLOS:

Imigrante alemão, chegou ao Brasil em 1827, possuía terras em Santo Amaro e imóveis na capital, na Freguesia de Santa Ifigênia (século XIX). Mais detalhes sobre sua propriedade em Santo Amaro, leia em:

SIRIANI, Silvia Cristina Lambert. Uma São Paulo Alemã: vida quotidiana dos imigrantes germânicos na Região da Capital (1827-1889). São Paulo: Imesp, 2003, p.64-65.

 

ABLAS, HENRIQUE:

Filho de Carlos Ablas, exerceu durante anos a função de tradutor para os engenheiros, mestres-de-obras e pedreiros alemães contratados pela Inspetoria de Obras Públicas.

 

ABREU JUNIOR, MANOEL CAETANO DE:

Segundo o periódico Revista Commercial (de Santos), em publicação do dia 28 de outubro de 1850, número 7, anno II, Página 2, possuía uma loja na Rua do Rosário, n.4:

"Suplemento. 
Annuncios.
Sahio a Luz e acha-se a venda em São Paulo, na loja do Sr. Manoel Caetano de Abreu Junior, rua do Rosário n.4, uma obra intitulada Instrucções para os Juizes Municipaes segunda de Elementos do Processo Civil. Esta obra é de summo interesse não só para aquelles que começão no foro e na magistratura a sua carreira literária, como para as pessoas que são obrigadas a servir o cargo de Juiz Municipal sem terem noções de Direito, pois além do referido ella contem muitos despachos sobre todas as causas e seus incidentes - Preço de cada volume 4$000rs."

 

ACADEMIA DE DIREITO:

Em 1827 foi aprovada a lei que autorizava a criação de cursos jurídicos no Brasil. Em 1828, no antigo Convento de São Francisco, foi instalado o primeiro curso na cidade de São Paulo. A primeira colação de grau aconteceu em 27 de outubro de 1831.

 

ACADEMIA DOS FELIZES DE SÃO PAULO:

Primeira academia de letras de São Paulo, fundada pelo então governador e capitão-geral D. Luís Antônio de Souza Botelho Mourão. A sessão inaugural aconteceu em 1770, no Palácio do Governo (local que no passado era conhecido como Colégio dos Jesuítas e hoje é o Pátio do Colégio).

 

ACADEMIA PAULISTA DE LETRAS:

Fundada em 5 de outubro de 1909. A iniciativa de sua crição partir do Dr. Joaquim José de Carvalho. A sessão solene de inauguração aconteceu no salão nobre do Conservatório Drámatico Musical...[+]

Bibliografia:

NOVAES, Israel Dias. Academia Paulista de Letras - 90 Anos. São Paulo: IMESP, 1999.

 

A CIDADE DE LONDRES:

Estabelecimento comerical dos Irmãos Ricardi que funcionou na Rua São Bento e posteriormente na Praça Antônio Prado esquina com Avenida São João. Especializada em vestuário... [+]

 

ACU:

Nascente canalizada em 1898. Estava localizada no cruzamento das Ruas Brigadeiro Tobias e Ladeira de Santa Efigênia. Boa parte da antiga Ladeira do Acu é conhecida hoje como Avenida São João

Sobre o nome Acu:

"Em anos do século XVII, o nome da região era Iacuba, originário do ribeiro cujas nascentes brotavam do atual Largo do Paissandu, para onde afluíam as águas da nascente da Rua Brigadeiro Tobias. Com o correr dos anos o vocábulo foi contraído em Iacum-Guaçu e Acu."

[AMARAL, Antonio Barreto do. Dicionário de História de São Paulo. São Paulo: Imesp, 2006, p.27]

 

ADOLPHO DUSSER:

Proprietário do antigo Hotel Paulistano, que funcionava no predio depois ocupado pelo Café Brandão, na Rua de São bento, esquina com a Ladeira de Acu (Avenida São João). Atualmente, o Edifício Martinelli ocupa o terreno onde ficava esse estabelecimento.

 

ADOTE UMA OBRA ARTÍSTICA:

Com o intuito de buscar o apoio da iniciativa privada na conservação física de obras e monumentos artísticos em espaços públicos da cidade de São Paulo, foi criado o programa Adote uma obra artística, pelo Decreto no 34.511, de 8 de setembro de 1994. Desde então, algumas obras já foram contempladas por adoção e restauradas...[+]

 

A FIDALGA CALÇADOS:

Site Oficial: A Fidalga

 

AFONSO BRÁS:

Padre jesuíta responsável pela construção do primeiro colégio-igreja em São Paulo.

 

AFONSO SARDINHA (FILHO):

Eleito pela Câmara Municipal, em 30 de setembro de 1592, capitão da guerra contar os índios do interior.

 

AFFONSO FIERARD:

Comerciante de jóias, na década de 1850, um anúncio no jornal informava que se hospedou na Casa de Saúde (que também funcionava como hotel), do francês Charles Pierre Etchecoin.

 

ALAMEDA DOS BAMBUS:

Nome antigo da atual Avenida Rio Branco (o nome foi alterado em 1907 - Lei Municipal n. 1033, de 07/08/1907).

 

ALBERT THIEBAUT:

Guarda-livros da Casa Garraux que, entre 1882 -1884, promoveu a primeira quermesse abolicionista em São Paulo, no Jardim da Luz, na época conhecido como Jardim Botânico/Jardim Público.

Leia mais sobre o evento em: 

RESENDE, Maurício Rodrigues de. O jardim da luz e os desdobramentos da urbanização paulistana. Revista PIBIC, Osasco, v. 5, n. 6, 2011, p. 99-110.

 

ÁLBUM COMPARATIVO DA CIDADE DE SÃO PAULO 1862-1887:

Álbum elaborado por Militão Augusto de Azevedo, com imagens dos mesmo locais da cidade, fotografias de 1862 e 1887, demonstrando as transformações da cidade durante o intervalo de 25 anos.

Bibliografia sobre Militão Augusto de Azevedo:

 

ALEXANDRE JOAQUIM DE SIQUEIRA:

Recebeu grau de bacharel em ciências jurídicas e sociais em 19 de outubro de 1835.

 

ALFREDO CESCHIATTI:

Escultura: José Bonifácio, escultura de Alfredo Ceschiatti.

 

ALMEIDA, JOÃO DE:

Terceiro ermitão da Igreja de Nossa Senhora da Luz, que aparece no recibo (1680) referente ao testamento de Anna Proença, esposa de Francisco de Sousa:

" 'Recebi de Francisco de Sousa como testamenteiro da defunta sua mulher Anna de Proença uma toalha de linho para o altar de Nossa Senhora da Luz que deixou na verba do seu testamento e por verdade lhe passei a quitação. Hoje 24 de junho de 1680 annos - o ermitão de Nossa Senhora da Luz, João Almeida' "

[ARROYO, Leonardo. Igrejas de São Paulo: introdução ao estudo dos templos mais característicos de São Paulo nas suas relações com a crônica da cidade. Rio de Janeiro: José Olympio, 1954, p.29.]

 

ÁLVARES DE AZEVEDO:

Matricula-se, em 1848, na Academia de Direito. Em uma carta para sua mãe, relata sobre a "febre", entre seus colegas de Academia, de tirar retratos. Tal informação é um dos registros mais antigos da existência de um fotógrafo na cidade.

Veja também: Fotografias de escultura Álvares de Azevedo, de Amadeo Zani (com texto sobre a família e um pouco da vida do poeta em São Paulo).

 

ALVARES, EMILIO JOSÉ:

Mencionado no anuncio de 1856 (Correio Paulistano: 4 de janeiro):

"Arrematação.

Pelo juizo municipal desta cidade, e cartório do escrivão abaixo assignado, a requerimento de João Martins Miller, se faz publico, que no dia 11 do corrente as 10 horas da manhã, na casa do dito Miller, rua do Piques, se hão de arrematar 3 moradas de casas avaliadas pela quantia de 10:000$000.

S. Paulo 2 de janeiro de 1856.

Emilio José Alvares."

 

AMADEO ZANI (AMADEU ZANI):

 

AMBRÓSIO PEREIRA:

Tabelião e escrivão da Câmara (1639), com cartório na capital.

 

AMÉRICO BRASILIENSE DE ALMEIDA MELO:

Primeiro Presidente do Estado de São Paulo (1891).

 

ANATOLE GARRAUX:

Clipping: 

Fotografias e informações sobre a Casa Garraux: Antiga Casa Garraux.

 

ANDRADE, DOM MANUEL JOAQUIM GONÇALVES DE:

Sexto Bispo de São Paulo. Foi nomeado em 25 de junho de 1827 e faz sua entrada solene na cidade em 23 de dezembro do mesmo ano.

 

ANDRADE, LUIZ DE:

Escrivão de órfãos da Villa de São Paulo (1659):

"Pedro Dias Leite prometia 'à Nossa Senhora do Guaré um manto de tafetá'. (...) 'Certifico eu Luiz de Andrade escrivão dos órfãos desta villa de São Paulo e seu termo e dello dou minha fé em como o capitão Lourenço Castanho Taques pagou ao ermitão de Nossa Senhora da Luz Antonio João três mil réis que o defunto Pedro Dias deixou de esmola e por passar na verdade e a pedimento do dito ermitão lhe passei a presente aos oito do mez de agosto de seiscentos e cincoenta e nove annos.' "

[ARROYO, Leonardo. Igrejas de São Paulo: introdução ao estudo dos templos mais característicos de São Paulo nas suas relações com a crônica da cidade. Rio de Janeiro: José Olympio, 1954, p.29.]

 

ANDRÉ CHRIST:

Imigrante alemão, chegou ao Brasil em 1827. Na listas feitas por Dr. Justiniano de Mello Franco, diretor do núcleo de Santo Amaro-Itapecirica (área destinada aos imigrantes alemães), nas décadas de 1830 e 1840, Christ aparece nos dados da documentação como sendo proprietário de armazém na capital.

 

ANDRÉ CORSINO PINTO CHICHORRO DA GAMA:

Recebeu grau de bacharel em ciência jurídicas e sociais em 19 de outubro de 1835 (turma de 1831-1835).

 

ANHANGABAÚ:

Hoje canalizado, o Rio Anhangabaú nascia junto à Rua do Paraíso, ao passar pelas proximidades da Rua Jaceguai, recebia água da Bica do Moringuinho e na altura da Rua da Assembléia, as águas da Bica do Miguelzinho. O rio seguia pela Rua Asdrúbal Nascimento até alcançar o Largo do Bexiga, nesse local, recebia as águas do Ribeirão Saracura, para então se projetar para o Vale do Anhangabaú, Avenida São João, Rua Florêncio de Abreu, Rua 25 de Março, para então, desaguar no Rio Tamanduateí.

Bibliografia sobre o Vale do Anhangabaú:

SIMÕES JÚNIOR, José Geraldo. Anhangabaú: história e urbanismo. São Paulo: Editora Senac São Paulo / Imesp, 2004.

 

ANNA CAMACHO:

Junto com seu marido, Domingos Luiz, fundaram no atual Bairro do Ipiranga a primeira capela em homenagem à Nossa Senhora da Luz. Na década de 1570-1580, mudou-se para a região conhecida como Guaré, atual Bairro da Luz, onde fundou um segundo tempo, também em homenagem a Nossa Senhora da Luz, doando o patrimônio para o poder público em 1603. Ver mais detalhes do verbete individual Mosteiro da Imaculada Conceição da Luz.

Mãe de Antonio Lourenço.

 

ANNA DE PROENÇA:

Esposa de Francisco de Sousa, em seu testamento (1680) deixou esmolas para a ermita de Nossa Senhora da Luz:

" 'Recebi de Francisco de Sousa como testamenteiro da defunta sua mulher Anna de Proença uma toalha de linho para o altar de Nossa Senhora da Luz que deixou na verba do seu testamento e por verdade lhe passei a quitação. Hoje 24 de junho de 1680 annos - o ermitão de Nossa Senhora da Luz, João Almeida' "

[ARROYO, Leonardo. Igrejas de São Paulo: introdução ao estudo dos templos mais característicos de São Paulo nas suas relações com a crônica da cidade. Rio de Janeiro: José Olympio, 1954, p.29.]

 

ANTÃO FERNANDES:

Maestro da Banda da Força Pública, que por volta de 1900 apresentava dois concertos por semana na cidade: às quintas-feiras, no Jardim do Palácio e aos domingos, no Jardim da Luz.

 

ANTIGA BOLSA DE MERCDORIAS:

O Edifício da Antiga Bolsa de Mercadorias está localizado entre os logradouros: Pátio do Colégio, Praça Manuel da Nóbrega, 40 e Rua Anchieta S/N, no centro da capital paulista. Nos primeiros anos de sua existência, era conhecido como o "Palácio do Café" e desde de 1977, abriga O Primeiro Tribunal de Alçada Civil de São Paulo...[+]

 

ANTIGA CASA NÚMERO 1 / CASA DA IMAGEM:

O edifício, localizado na Rua Roberto Simonsen (antiga Rua do Carmo), é composto de alvenaria de tijolos, erguido, provavelmente, sobre as fundações da antiga casa de taipa de pilão De acordo com os dados da prefeitura, seu primeiro proprietário foi Francisco Dias (1689). Após sua morte, o bandeirante Gaspar de Godoy Moreira comprou o imóvel e seus filhos e descendentes fizeram uso da casa como moradia...[+]

 

ANTIGA PROPRIEDADE DE DIOGO NUNO DA MOTTA:

Localizada na Rua Doutor Cesário Mota Júnior, 89 e 95.

Bibliografia:

BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos, EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A e SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento, 1984.

 

ANTIGA REDAÇÃO DO JORNAL FOLHA DE S.PAULO:

Edificação localizada na Rua Roberto Simonsen, 112 e 114.

Bibliografia:

BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos, EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A e SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento, 1984.

ANTIGA RESIDÊNCIA DA FAMÍLIA ALVES DE LIMA:

Localizado na esquina das Ruas dos Guainazes, 1149 e Alameda Nothmann, 592 e 598.

Bibliografia:

BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos, EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A e SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento, 1984.

 

ANTIGA RESIDÊNCIA DE ANTÔNIO DE PAULA SOUZA:

Localizada na Rua Florêncio de Abre, 714 a 726, esquina com a Rua Paula Souza, 19 e 27.

Bibliografia:

BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos, EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A e SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento, 1984.

 

ANTIGA RESIDÊNCIA DE ELIAS PACHECO:

Localizada na Rua São Bento, 189 a 197.

Bibliografia:

BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos, EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A e SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento, 1984.

 

ANTIGA RESIDÊNCIA DE EULÁLIO DA COSTA:

Localizado na Rua Florêncio de Abreu, 217 e 223.

Bibliografia:

BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos, EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A e SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento, 1984.

 

ANTIGA SEDE DA FACULDADE DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DA USP:

Sobre o tombamento municipal: CONPRESP - Resolução no . 05/91 (tombamento "ex-officio" da edificação).

 

ANTIGAS SECRETARIAS DA AGRICULTURA E DA FAZENDA:

Par de edificações projetados nas décadas de 1880 - 1890, projetos do Escritório de Arquitetura de Ramos de Azevedo. Foram construídos por ocasião da remodelação do Pátio do Colégio, quando da remodelação da antiga construção e transformação do antigo colégio dos jesuítas em Palácio do Governo...[+]

 

ANTIGO BANCO ALEMÃO:

O estilo neo-românico descreve o antigo Brasilianische Bank für Deutschland, na época, em moda na Alemanha. A edificação foi construída em 1897 e parte da sua fachada original sobrevive em meios aos acréscimos recebidos nos anos seguintes. A ala voltada para a Rua Três de Dezembro foi construída entre 1910 e 1914 (autoria de Augusto Fried), o terceiro andar foi implementado em 1963. Segundo Juan Esteves e Antônio Carlos Abdalla, o banco funcionava no térreo e os pavimentos superiores eram ocupados por residência particular (provavelmente, na época, pelo diretor da instituição)...[+]

Livros:

DIETRICH, Ana Maria. Caça às suásticas: o Partido Nazista em São Paulo sob a mira da polícia política. IMESP, 2008.

 

ANTIGO BANCO DE SÃO PAULO:

A edificação pertenceu à Família Almeida Prado e, posteriormente, foi adquirida pelo Banespa, tornando-se patrimônio do estado em 1973. Segundo Juan Esteves e Antonio Carlos Abdalla, a construção é um importante exemplo da arquitetura art déco, incluído em vários catálogos internacionais de arquitetura...[+]

 

ANTIGO BANCO FRANCÊS-ITALIANO:

A edificação do Antigo Banco Francês e Brasileiro, projeto de Giulio Micheli, foi inspirado no Palácio Strozzi (Itália). Iniciada em 1919, o edifício possui quatro pavimentos mais porão, foi erguido em estrutura de concreto e alvenaria de tijolos...[+]

 

ANTIGO BANCO PORTUGUÊS DO BRASIL:

A edificação eclética possui seis pavimentos mais subsolo, em estrutura de concreto e alvenaria de tijolos. Projetada e construída por F. P. Ramos de Azevedo & Cia. e adquirida em 1919 pelo Banco Português do Brasil, quando recebeu os atuais pavimentos, pois, originalmente era composta pelo andar térreo e sobrado...[+]

 

ANTIGO EDIFÍCIO DA SECRETARIA DE VIAÇÃO E OBRAS PÚBLICAS:

Localizado na Rua Riachulelo, 115, esquina com Avenida Brigadeiro Luís Antônio, S/N.

Livros:

BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos, EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A e SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento, 1984.

 

ANTIGO LICEU (COLÉGIO) NOSSA SENHORA DE LORETTO:

Facebook: Colégio Nossa Senhora de Loretto.

Clipping:

Livros sobre o Antigo Liceu Nossa Senhora de Loretto:

BENS CULTURAIS ARQUITETÔNICOS NO MUNICÍPIO E NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. São Paulo: SNM – Secretaria de Estado dos Negócios Metropolitanos, EMPLASA – Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo S/A e SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento, 1984.

 

ANTIGO LONDON AND RIVER PLATE BANK:

Antiga sede do London and River Plate Bank Limited, inaugurado em 1912. Projetado e construído por Lindenberg, Alves & Assumpção. É um exemplo do estilo neogótico, em voga do século XIX. Segundo Jacques Narcovitch, o sucesso do Banco Mauá junto à bolsa londrina não passou desapercebido pelos investidores britânicos e na segunda metade do século XIX, um grupo de capitalistas se reuniu para lançar o The London and Brazilian Bank, entre os responsáveis pelo empreendimento estavam ...[+]

 

ANTÔNIO BENTO DE SOUSA E CASTRO:

Formado pela Academia de Direito (1864-1868), liderou um movimento para ajudar a fuga de escravos e a implantação de quilombos, na década de 1870, conhecida como Confraria de Nossa Senhora dos Remédios, nome derivado de sua sede, a Igreja de mesmo nome, localizada no Largo de São Gonçalo.

 

ANTONIO BERNARDO QUARTIM:

De acordo com o anúncio publicado no Correio Paulistano (2 de janeiro de 1856), estavam disponíveis para venda em sua casa, "gottas anti-cholericas".

 

ANTÔNIO CAETANO DE CAMPOS:

Primeiro diretor da Escola Normal que posteriormene levaria o seu nome.

 

ANTÔNIO DA SILVA PEREIRA, PADRE:

Publicado no periódico Revista Commercial (de Santos), no dia 1 de novembro de 1850, número 8, anno II, Página 4, informação sobre o roubo de valores destinados ao Padre Antonio da Silva Pereira

"Annuncios.
Pelo Correio de Iguape ao de São Paulo foi dirigida uma carta segura, na mala de 29 de setembro p.p. ao Padre Antonio da Silva Pereira com duas notas de cincoenta mil reis, uma da 1a. serie, nr. 10,783, e a outra da 2a serie, nr. 26,297, ambas com o nome do mesmo Padre escripto no verso. Esta carta so lhe foi entregue em São Paulo em 18 do mez de outubro sem o dinheiro, que foi roubado de dentro. Roga-se portanto a quem foi apresentada alguma das notas, de dirigir-se a autoridade do paiz, afim de se tornarem as providencias necessarias, ficando no entanto o publico sciente de tão escandaloso facto, que esta provado, por quanto tomarão-se testemunhas tanto no lançar a carta e dinheiro na agencia de Iguape, como no abri-la em São Paulo, perante empregados de ambas."

 

ANTONIO DE MADRE DE DEUS GALRÃO, DOM FREI:

2o. Bispo de São Paulo, nomeado em 1750; sua entrada solene na cidade aconteceu no dia 18 de junho de 1751.

 

ANTONIO ETZEL:

FONTE DA IMAGEM:
Trecho do livro “Um Médico do Séc. XX Vivendo Tranformações”, de Eduardo Etzel. IN: A CASA DO ADMINISTRADOR: PARQUE JARDIMDA LUZ. Prefeitura Municipal de São Paulo.

 

Nomeado administrador do Jardim da Luz em 1893; permaneceu no cargo até sua morte, em 1930. Austríaco, era jardineiro de Dona Veridiana, mãe do prefeito Antônio Prado.

 

ANTONIO FRANCISCO DE PAULA SOUSA:

Engenheiro, primeiro diretor da escola Politécnica, criada em 1893 e inaugurada em 1894.

 

ANTONIO GONÇALVES DA SILVA BATUÍRA:

Responsável pela direção de "Verdade e Luz", jornal criado para a divulgação do espiritismo, em 1890.

 

ANTONIO GUILHERMINO GENTILI DE LACERDA:

Recebeu grau de bacharel em ciências jurídicas e sociais em 29 de outubro de 1835.

 

ANTONIO JOÃO:

Segundo ermitão da Igreja Nossa Senhora da Luz, aparece no inventário de 1658, de Antonio Pedroso de Barros e em 1659, no de Pedro Dias Leite:

"Pedro Dias Leite prometia 'à Nossa Senhora do Guaré um manto de tafetá'. (...) 'Certifico eu Luiz de Andrade escrivão dos órfãos desta villa de São Paulo e seu termo e dello dou minha fé em como o capitão Lourenço Castanho Taques pagou ao ermitão de Nossa Senhora da Luz Antonio João três mil réis que o defunto Pedro Dias deixou de esmola e por passar na verdade e a pedimento do dito ermitão lhe passei a presente aos oito do mez de agosto de seiscentos e cincoenta e nove annos.' "

[ARROYO, Leonardo. Igrejas de São Paulo: introdução ao estudo dos templos mais característicos de São Paulo nas suas relações com a crônica da cidade. Rio de Janeiro: José Olympio, 1954, p.29.]

 

ANTONIO LOURENÇO:

Sexto de sete filhos do casal Domingos Luiz e Anna Camacho, responsáveis pela fundação da Igreja de Nossa Senhora da Luz. Foi designado pela família, em testamento de 1609, para ser o responsável pela administração da Ermida da Luz.

 

ANTONIO MARIA CHAVES E MELLO:

Bacharel de Direito, em 1856, era diretor do Curso Elementar Bellas Letras

 

ANTONIO MARIA DE MOURA:

Padre que morou em uma edificação onde hoje está localizada a Casa da Imagem (Casa Número 1) e morreu em 1842.

 

ANTONIO MARIA QUARTIM:

Substituiu o Marechal Todelo Redon na direção do projeto de construção do Jardim da Luz (1827).

 

ANTONIO MARIANO DE AZEVEDO MARQUES:

Responsável pelo "O Paulista", 1o. periódico manuscrito de São Paulo. Popularmente chamado de "Mestrinho".

 

ANTONIO NAVARRO DE ABREU:

Recebeu grau de bacharel em ciências jurídicas e sociais em 1835 (turma 1831-1835).

 

ANTONIO ROBERTO DE ALMEIDA:

Formou-se bacharel em ciência jurídias e sociais, em 19 de outubro de 1835 (turma 1831-1835).

 

ANTONIO TEIXEIRA:

É mencionado como sendo genro de Domingos Luiz, responsável pela Igreja de Nossa Senhora da Luz:

"Eu Domingos Luiz recebí um cruzado que meu genro Antonio Teixeira deixou de esmola em seu testamento à ermida de Nossa Senhora da Luz como mordomo que sou da dita ermida e roguei ao padre Gaspar Sanches que esta fizesse por mim hoje quinze de novembro de 605" (provavelmente ano de 1605).

[ARROYO, Leonardo. Igrejas de São Paulo: introdução ao estudo dos templos mais característicos de São Paulo nas suas relações com a crônica da cidade. Rio de Janeiro: José Olympio, 1954, p.28.]

 

ARMARINHO DA RUA DAS CASINHAS, N.5:

Em 2 de janeiro de 1856, o estabelecimento publicava que tinha à disposição para venda 4 volumes do "Direito das Nações Neutras". Clique aqui, para ver o anpuncio.

 

ARQUIVO HISTÓRICO WASHINGTON LUÍS:

Clipping:

 

ARTHUR ETZEL:

FONTE DA IMAGEM:
Trecho do livro “Um Médico do Séc. XX Vivendo Tranformações”, de Eduardo Etzel. IN: A CASA DO ADMINISTRADOR: PARQUE JARDIMDA LUZ. Prefeitura Municipal de São Paulo.

 

Filho de Antônio Etzel (que durante anos, administrou o Jardim da Luz) e pai de Maria Antonieta Etzel (Kika). Com a morte do pai (Antônio Etzel), assumiu o cargo de administrador dos Parques, Jardins e Cemitérios de São Paulo e mudou-se para a Casa do Adminstrador, localizada dentro do Jardim da Luz. Aos 29 anos casou-se com Luiza (25 anos). Era chamado pelos netos de "Vovô Tutuio" e sua esposa de "Vovó Iza". Morreu aos 81 anos (1971), na época trabalhava como administrador do Parque do Ibirapuera pois, teve que deixar a administração dos Parques, Jardins e Cemitérios quando completou 67 anos. Uma de suas netas lembra da convivência com seu avô na Casa do Administrador:

    "A casa nos traz recordações maravilhosas. Minha mãe, Maria Antonieta, casou-se com meu pai, Flávio De Mingo. Tiveram duas filhas: Luiza Beatriz e eu, Maria Cristina. Moramos seis anos na Casa do Jardim da Luz. Minha irmã Luiza também se casou lá. Seu noivado foi inesquecível porque foi junto com as Bodas de Ouro dos meus avós Tutuio e Iza.

    Éramos sete netos e aproveitamos muito a casa, o cercadinho na frente, onde vovô colocou uma casa de boneca, escorregador e gangorras. O porão era o escritório do vovô, um paraíso para os netos porque tinha tudo o que crianças gostam (livros de flores, plantas exóticas, máquinas, relógios e tranqueiras). Brincávamos de esconde-esconde nas camélias, pegador, fazíamos passeios até o coreto, aos lagos, ao aquário, ao roseiral, andávamos de bicicleta vendo os fotógrafos lambe-lambe tirando fotos das pessoas.

    Todo sábado vovô ia fazer compras no Mercadão Municipal e trazia o que cada um gostava. Ficava todo orgulhoso nos almoços de domingo, às 12h em ponto, sentado na cabeceira da mesa, na sala de jantar, com todos os filhos, genro, noras e esposa. Nós, os netos, almoçávamos na cozinha, onde havia um grande fogão a lenha."

    [A CASA DO ADMINISTRADOR: PARQUE JARDIMDA LUZ. Prefeitura Municipal de São Paulo.]

 

ASSOCIAÇÃO AUXILIADORA CLASSES LABORIOSAS:

A Associação Auxiliadora das Classes Laboriosas foi criada em 1891 por um grupo de carpinteiros e pedreiros que lutavam por direitos trabalhistas. Localização da antiga edificação: Rua Roberto Simonsen, 22. Data da construção: 1909. Um incêndio, no dia 3 de fevereiro de 2008, destruiu o teto de e grande parte das paredes internas

Clipping:

 

ATENEU PAULISTANO:

Colégio do Padre Júlio Mariano Galvão de Moura, que na década de 1850 foi instalado no edifício conhecido como Casa Número 1 - Casa da Imagem, e que posteriormente ocupou uma edificação na Ladeira Porto Geral.

 

ATOUGUIA, MANUEL DE :

Primeiro ermitão da Luz, após a administração da família dos fundadores (Domingos Luiz e seu filho Antônio Lourenço). Aparece no testamento de Isabel Soares (1629):

" 'se dê ao ermitão de Guarepe uma esmola em panno de algodão', o que foi religiosamente cumprido, pois mais adiante vamos encontrar o seguinte recibo: 'Digo eu Manuel de Atouguia ermitão que sou de Nossa Senhora de Gueré que recebi do senhor Gabriel Pinheiro Costa duas patacas em dinheiro que me deu uma esmola que sua mulher Izabel Soares que Deus tem deixou em testamento me déssem em panno e elle como testamenteiro m'as deu por verdade lhe dei esta quitação para sua guarda hoje 10 de julho de seiscentos e trinta e um annos'. "

[ARROYO, Leonardo. Igrejas de São Paulo: introdução ao estudo dos templos mais característicos de São Paulo nas suas relações com a crônica da cidade. Rio de Janeiro: José Olympio, 1954, p.28.]

 

AUGUSTO HOFF:

Imigrante alemão, chegou ao Brasil por volta de 1870. Juntamente com Guilherme Schultz, comprou a chácara Mauá (1876) e depois a vendeu para Victor Nothmann e Frederico Glette(1879).

 

AVENIDA IPIRANGA:

Sobre o tombamento municipal: CONPRESP - Resolução no . 06/91

 

AVENIDA RIO BRANCO:

O antigo nome desse logradouro era Alameda dos Bambus. A avenida foi rebatizada de Avenida Rio Branco em 7 de agosto de 1907 (Lei Municipal n. 1033).

 

AVENIDA SÃO LUIS:

Livros sobre Avenida São Luís:

LEFEVRE, José Eduardo de Assis. De beco a avenida: a história da Rua São Luiz. Edusp. 2006

 

AZEVEDO, MILITÃO AUGUSTO DE:

Artigo sobre Militão Augusto de Azevedo:

DUAS IMAGENS DO CENTRO DA CIDADE DE SÃO PAULO - análise morfológica décadas de 1910 e 1950: Na imagem escolhida (abaixo), extraída do Álbum Comparativo da cidade de São Paulo: 1862 – 1887 – 1914, publicado pelaCasa Duprat, em 1914 (sem indicação de autoria), alguns elementos icônicos são passíveis de identificação: a antiga edificação da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, a Igreja das Chagas do Seráfico Pai São Francisco, a Igreja de São Francisco de Assis da Venerável Ordem dos Frades Menores, o logradouro Largo de São Francisco. Somando-se a esses, outros: os trilhos de...[+]

 

letra A > letra B

 

CENTRO DE SÃO PAULO

VERBETES

ABLAS, CARLOS

ABLAS, HENRIQUE

ABREU JUNIOR, MANOEL CAETANO DE

ACADEMIA DE DIREITO

ACADEMIA DOS FELIZES DE SÃO PAULO

ACADEMIA PAULISTA DE LETRAS

A CIDADE DE LONDRES

ACU

ADOLPHO DUSSER

A FIDALGA CALÇADOS

AFONSO BRÁS

AFONSO SARDINHA (FILHO)

AFFONSO FIERARD

ALAMEDA DOS BAMBUS

ALBERT THIEBAUT

ÁLBUM COMPARATIVO DA CIDADE DE SÃO PAULO 1862-1887

ALEXANDRE JOAQUIM DE SIQUEIRA

ALFREDO CASCHIATTI

ALMEIDA, JOÃO DE

ÁLVARES DE AZEVEDO

ALVARES, EMILIO JOSE

AMADEO ZANI (AMADEU ZANI)

AMBRÓSIO PEREIRA

AMÉRICO BRASILIENSE DE ALMEIDA MELO

ANATOLE GARRAUX

ANDRADE, DOM MANUEL JOAQUIM GONÇALVES DE

ANDRADE, LUIZ DE

ANDRÉ CHRIST

ANDRÉ CORSINO PINTO CHICHORRO DA GAMA

ANHANGABAÚ

ANNA CAMACHO

ANNA DE PROENÇA

ANTÃO FERNANDES

ANTIGA BOLSA DE MERCADORIAS

ANTIGA CASA NÚMERO 1 / CASA DA IMAGEM

ANTIGA PROPRIEDADE DE DIOGO NUNO DA MOTTA

ANTIGA REDAÇÃO DO JORNAL FOLHA DE S.PAULO

ANTIGA RESIDÊNCIA DA FAMÍLIA ALVES DE LIMA 

ANTIGA RESIDÊNCIA DE ANTÔNIO DE PAULA SOUZA 

ANTIGA RESIDÊNCIA DE ELIAS PACHECO 

ANTIGA RESIDÊNCIA DE EULÁLIO DA COSTA 

ANTIGA SEDE DA FACULDADE DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DA USP 

ANTIGAS SECRETARIAS DA AGRICULTURA E DA FAZENDA

ANTIGO BANCO ALEMÃO 

ANTIGO BANCO DE SÃO PAULO

ANTIGO BANCO FRANCÊS-ITALIANO

ANTIGO BANCO PORTUGUÊS DO BRASIL

ANTIGO EDIFÍCIO DA SECRETARIA DE VIAÇÃO E OBRAS PÚBLICAS 

ANTIGO LICEU (COLÉGIO) NOSSA SENHORA DE LORETTO 

ANTIGO LONDON AND RIVER PLATE BANK

ANTÔNIO BENTO DE SOUSA E CASTRO

ANTONIO BERNARDO QUARTIM

ANTÔNIO CAETANO DE CAMPO 

ANTÔNIO DA SILVA PEREIRA, PADRE 

ANTONIO DE MADRE DE DEUS GALRÃO, DOM FREI 

ANTONIO ETZEL 

ANTONIO FRANCISCO DE PAULA SOUSA 

ANTONIO GONÇALVES DA SILVA BATUÍRA

ANTONIO GUILHERMINO GENTILI DE LACERDA

ANTONIO JOÃO

ANTONIO LOURENÇO

ANTONIO MARIA CHAVES E MELLO

ANTONIO MARIA DE MOURA

ANTONIO MARIA QUARTIM

ANTONIO MARIANO DE AZEVEDO MARQUES 

ANTONIO NAVARRO DE ABREU

ANTONIO ROBERTO DE ALMEIDA

ANTONIO TEIXEIRA

ARMARINHO DA RUA DAS CASINHAS, N.5

ARQUIVO HISTÓRICO WASHINGTON LUÍS 

ARTHUR ETZEL 

ASSOCIAÇÃO AUXILIADORA CLASSES LABORIOSAS 

ATENEU PAULISTANO

ATOUGUIA, MANUEL DE

AUGUSTO HOFF 

AVENIDA IPIRANGA

AVENIDA RIO BRANCO 

AVENIDA SÃO LUIS

AZEVEDO, MILITÃO AUGUSTO DE

 

 

CLIQUE NAS LETRAS ABAIXO PARA ACESSAR OS OUTROS VERBETES

 

 

 

A

B

 

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

Q

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

 


CAPITAL - SAO PAULO E SEU PATRIMONIO ARQUITETONICO

Juan Esteves
Antonio Carlos Abdalla
Imesp
2013

'A Secretaria de Estado da cultura de São Paulo tem imensa satisfação em apoiar a reedição do livro 'Capital - São Paulo e seu patrimônio arquitetônico, de Juan Esteves. Com curadoria de Antonio Carlos Abdalla, o conjunto de fotografias selecionadas oferece um amplo panorama da diversidade de edifícios de distintas naturezas que marcaram a capital paulista ao longo de sua história, especialmente os últimos 100 anos. Colocado em evidência no magistral registro de Juan Esteves, o patrimônio arqutetônico paulistano pode aqui ser apreciado nos detalhes que acabam por ficar invisíveis em meio à agitação cotidiana da metrópole. Ao dar merecida visibilidade aos edifícios retratados, esta publicação ajuda a sensibilizar para a necessidade de preservação desse patrimônio, uma importantíssima e difícil tarefa, que precisava envolver toda a sociedade.' - Marcelo Mattos Araujo...[+]

 


ARQUIVO HISTORICO DE SAO PAULO

Eudes Campos
Imesp
2011

Seleção de manuscritos, mapas, plantas, desenhos técnicos e fotografias, escolhidos dentre os mais de 4 milhões de itens pertencentes ao acervo do 'Arquivo Histórico de São Paulo', este livro busca compor um mosaico da história da cidade e ressalta a importância da conservação deste patrimônio diante dos desafios de compreensão do seu futuro...[+]

 


Patrimônio da metrópole paulistana

Margarida Cintra Gordinho
Iatã Cannabrava
Terceiro Nome
2010

Este livro apresenta, com fotos e textos, os bens tombados pelo Condephaat na cidade de São Paulo e em sua região metropolitana. Com ele, procuramos contribuir para amplir a possibilidade desses bens serem conhecidos, admirados e preservados, mantendo vivas as memórias e histórias que ajudam a construir nosso futuro...[+]

 


HISTORIA DOS VELHOS TEATROS DE SAO PAULO

Antonio Barreto do Amaral 
Imesp
2006

A Coleção Paulística trata de diversos aspectos da História do Estado de São Paulo, de sua formação e cultura, de alguns de seus municípios e de algumas de suas personalidades. Publicados em meados do século XX, esses volumes tiveram sua última edição entre as décadas de 1970 e 1980. A reedição revista e atualizada de 5 volumes mostra-se muito oportuna: a coleção está esgotada e os poucos volumes em circulação têm merecido o tratamento de obra rara. Disponibiliza-se, assim, a pesquisadores e estudiosos da história de São Paulo, bem como ao público em geral, importante parte da obra. Os exemplares selecionados, escritos por nomes relevantes da prosa paulista, cobrem desde a saga dos Bandeirantes até a história dos teatros paulistas, destacando-se o importante Dicionário de História de São Paulo...[+]

 

home      moyarte      não-diário      contato