Texto e Fotografias de Mônica Yamagawa


centro de são paulo


história da arte


mundo digital


patrimônio cultural

VERBETES

 

HATTENBACH, JOÃO

HEIB, JOSÉ

HENRIQUE ABLAS

HENRIQUE STUPAKOFF

HENRIQUE SYDOW

HERCULE FLORENCE

HOFF, AUGUSTO

HOSPITAL DA CARIDADE

HOSPITAL DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO

HOSPITAL DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA

HOSPITAL MILITAR

HOTEL DA BOA VISTA

HOTEL DO HILÁRIO

HOTEL PALM

HOTEL PAULISTANO

HUND, GEORGE

 

 

CENTRO DE SÃO PAULO

DICIONÁRIO DO CENTRO DE

SÃO PAULO

letra H

atualizado em: 1 de janeiro de 2017

 

home > centro de são paulo > DICIONÁRIO DO CENTRO DE SÃO PAULO: LETRA H

letra G < letra H > letra I

 

HATTENBACH, JOÃO:

Imigrante alemão, chegou ao Brasil por volta de 1850. Ferreiro, montou um barracão na área onde hoje fica a Avenida Ipiranga, montando no local sua oficina. Em seu inventário, constava uma casa de aluguel na Rua da Palha (atual Rua 7 de Abril).

 

HEIB, JOSÉ:

Em 1870, abriu uma fábrica de cerveja, na Rua da Liberdade, junto da Ponte da Condessa de São Joaquim.

 

HENRIQUE ABLAS:

Filho de Carlos Ablas, exerceu durante anos a função de tradutor para os engenheiros, mestres-de-obras e pedreiros alemães contratados pela Inspetoria de Obras Públicas.

 

HENRIQUE STUPAKOFF:

Inaugura sua Fábrica de Cerveja Bavária, em 1892.

 

HENRIQUE SYDOW:

Imigrante alemão, artesão, especialista em fabricação de sinos. Pai de Gustavo Sydow.

 

HERCULE FLORENCE:

Em 1833, realiza os primeiros experimentos fotográficos no país (em Campinas). Em 1839, em declaração publicada na revista A Phenix, afirma que não entrará na disputa pela descoberta da técnica com o francês Louis Jacques Mandé Daguerre.

 

HOFF, AUGUSTO:

Imigrante alemão, chegou ao Brasil por volta de 1870, juntamente com Guilherme Schultz, comprou a chácara Mauá (1876) e depois a vendeu para Victor Nothmann e Frederico Glette(1879).

 

HOSPITAL DA CARIDADE:

Inaugurado em 2 de julho de 1825, juntamente, com a Casa dos Expostos, na Chácara dos Ingleses, pela Santa Casa de Misericórdia.

 

HOSPITAL DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO:

Fundada em 27 de fevereiro de 1831.

 

HOSPITAL DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA:

Inaugurado em 30 de junho de 1840, o "novo" hospital foi projetado por Daniel Pedro Müller, na Rua da Glória.

 

HOSPITAL DE ALIENADOS:

Criada por volta de 1842, chegou a funcionar na Avenida São João, próximo a Avenida Ipranga. Segundo as pesquisas do Arquivo do Estado, o local onde o hospital fixou, posteriormente edereço, ficava na Várzea do Carmo. A edificação original onde funcionou o hospital era um sobradão com porão. O acesso ao local era feito pela ponte de Tabatinguera...[continue lendo]

 

HOSPITAL MILITAR:

Criado em 1792. Em 1803 foi criada uma aula de cirurgia no hospital.

 

HOTEL DA BOA VISTA:

Antigo Hotel do Hilário, recebeu esse novo nome em 1865, quando foi adquirido por Domingos Henrique da Silva.

 

HOTEL DO HILÁRIO:

Antiga Casa de Banho/Casa de Saúde que funcionava onde hoje está localizada a Casa da Imagem (Casa Número 1), na década de 1862,

"dando hospedagem e anunciando trazer peixes de Santos e oferecer tainhas frescas, assadas, recheadas, camarões frescos, ostras em lata, além de “comidas usuais”. Atores da Companhia Dramática de São Paulo tinham ali o seu endereço. Em 1865, o hotel passou às mãos de Domingos Henrique da Silva, foi todo reformado e ganhou o nome de Hotel da Boa Vista. Dizia um anúncio: “O proprietário não poupou esforços a fim de oferecer aos senhores viajantes e pensionistas todas as comodidades possíveis, tendo excelentes aposentos, e podendo gozar-se da linda vista da várzea” (referia-se às margens do rio Tamanduateí)4; “uma vista deliciosa, que daí se goza e que torna para os senhores passageiros a hospedagem amena e aprazível”. Um ano depois, porém, foram a leilão os móveis e utensílios do hotel."

["História de um lugar". Casa da Imagem. Prefeitura Municipal de São Paulo.]

 

HOTEL PALM:

Anúncio publicado no periódico Revista Commercial (da cidade de Santos), em 17 de julho de 1860, n.89, página 4:

"Annuncios.
Hotel Palm
N.22 Largo de S. Francisco N.22
na cidade de S.Paulo

O abaixo assinado tendo tomado conta deste estabelecimento, que até o presente continuava como o título de Hotel dos Viajantes, participa do respeitável público, que a toda e qualquer hora, se encontrará uma grande variedade de comidas estrangeiras e nacionais, as quaes se apromtão com a maior brevidade possível, vinhos, licores etc. de todas as qualidades, e por preços muito moderada.

N.B. Encarrega-se toda e qualquer encomenda."

O Hotel Palm antes era chamado Hotel des Voyageurs, no Largo de São Francisco. Em 25 de julho de 1860, J.J. Von Tschudi chegou em São Paulo e se hospedou no Hotel Palm, em seu relato, ele descreveu o estabelecimento:

"Hospedei-me no Hotel Palm, que me fora recomendado por diversas pessoas. Os aposentos eram medíocres, mas a recepção, a atenção dispensada aos hóspedes e a boa mesa, compensavam a lacuna. O proprietário do hotel, um alemão, era antigo colono de Santa Francisca. Durante alguns anos, tivera um albergue na estrada de Santos, depois do que viera estabelecer-se com um hotel alemão na capital da Província."

[TSCHUDI, J.J. Von. Viagem às Províncias do Rio de Janeiro e S.Paulo. São Paulo: Martins Fontes, 1976, p.120.]

 

HOTEL PAULISTANO:

Ficava na Rua São Bento, esquina da Ladeira do Acu, era propriedade de Adolpho Dusser. Posteriormente, a edificação abrigou no térreo o Café Brandão (hoje, no local, estã o Edifício Martinelli).

 

HUND, GEORGE:

Imigrante alemão. Sua família, ao chegar ao Brasil (por volta de 1870), dedicou-se, inicialmente ao trabalho com fundição de ferro.

 

letra G < letra H > letra I

 

home      moyarte      não-diário      contato