Texto e Fotografias de Mônica Yamagawa


centro de são paulo


história da arte


mundo digital


patrimônio cultural

VERBETES

RAMALHO, JOÃO

RATH, CARL FRIEDRICH JOSEPH

RECOLHIMENTO DE NOSSA SENHORA DA LUZ

REICHERT, THEODORO

RELÓGIO DE NICHILE

RESSURREIÇÃO, DOM FREI MANUEL DA

REVISTA DA SOCIEDADE PHILOMATICA

REZENDE, ESTEVÃO RIBEIRO DE

RIBEIRO, JOAQUIM ESTEVÃO

RICARDI, IRMÃOS

RICARDO CIPICCHIA

RIO TAMANDUATEÍ

RODA DE EXPOSTOS

ROTELLINI, VITALINO

RUA 24 DE MAIO

RUA 25 DE MARÇO

RUA DA CONSTITUIÇÃO

RUA DA IMPERATRIZ

RUA DA PALHA

RUA DE SANTA TERESA

RUA DE SÃO GONÇALO

RUA DIREITA

RUA DO COMÉRCIO

RUA DO ROSÁRIO (OU ROZARIO)

RUA DOS ESTUDANTES

RUA FLORÊNCIO DE ABREU

RUA JOÃO BRÍCOLA

RUA JOSÉ BONIFÁCIO

RUA LÍBERO BADARÓ

RUA NOVA DE SÃO JOSÉ

RUA ROBERTO SIMONSEN

RUA SANTO ANTÔNIO (ANTIGA RUA DE)

RUA SÃO BENTO

RUA XV DE NOVEMBRO

 

CENTRO DE SÃO PAULO

DICIONÁRIO DO CENTRO DE

SÃO PAULO

letra R

atualizado em: 22 de fevereiro de 2017

 

home > centro de são paulo > DICIONÁRIO DO CENTRO DE SÃO PAULO: LETRA R

letra Q < letra R > letra S

 

RAMALHO, JOÃO:

Junto com Tibiriça, auxiliou o padre Manuel da Nóbrega na escolha do local para fundar o clégio-igreja da Companhia de Jesus. Tornou-se o 1o. Capitão-mor da Vila de São Pauloem 9 de julho de 1562, para liderar na guerra contra os índios Tamoios.

 

RATH, CARL FRIEDRICH JOSEPH:

Artigo:

Carl Friederich Joseph Rath: o ‘higienismo’ na formação do corpus disciplinar do urbanismo a cidade de São Paulo. Ivone Salgado. Vitruvius. 2009

Carl Friederich Joseph Rath, na condição de engenheiro, quer da Província de São Paulo, quer da Câmara da Imperial Cidade de São Paulo, quer para o que denominava seus ‘serviços particulares’, atuou durante muitos anos nesta cidade e em obras públicas na então Província de São Paulo. Seus trabalhos se referiam, entre outros, à realização de uma cartografia, à elaboração de pareceres e projetos, à participação em comissões técnicas, ao parcelamento de glebas e, substancialmente, na orientação sobre a localização de diversas obras públicas a serem construídas e dos novos parcelamentos de glebas a serem... [+]

 

RECOLHIMENTO DE NOSSA SENHORA DA LUZ:

Fundado em 1774.

 

REICHERT, THEODORO:

Imigrante alemão, médico, além de atender a comunidade alemã, também atendia pacientes brasileiros. Além da medicina, chegou a ter sua própria casa bancária, começando suas atividades financeiras com pequenos empréstimos.

 

RELÓGIO DE NICHILE:

Informações sobre o tombamento municipal: CONPRESP - Resolução no . 04/89.

 

RESSURREIÇÃO, DOM FREI MANUEL DA:

3o. Bispo de São Paulo, nomeado em 1771. A fundação do Cemitério dos Aflitos, por volta de agosto de 1775, foi uma iniciativa de Dom Frei Manuel da Ressurreição, então Bispo de São Paulo, ao assumir o cargo de provedor da Santa Casa de Misericórida.

 

REVISTA DA SOCIEDADE PHILOMATICA:

Primeira revista literária-científica, publicada em São Paulo, em 14 de junho de 1833.

 

REZENDE, ESTEVÃO RIBEIRO DE:

Primeiro juiz de fora nomeado para a cidade de São Paulo, em 13 de maio de 1810. Futuro Marquês de Valença.

 

RIBEIRO, JOAQUIM ESTEVÃO:

Sobre ele, há um anúncio no Correio Paulistano, de 2 de janeiro de 1856:

"A administração da casa fallida de Joaquim Estevão Ribeiro, convida os devedores a mesma para satisfazerem seus debitos em casa do administrador Bernardino José Dias Torres. S.Paulo, 14 de dezembro de 1855 - Bernardino José Dias Torres de Oliveira - Barão do Tietê."

 

RICARDI, IRMÃOS:

Proprietários da Loja A Cidade de Londres.

 

RICARDO CIPICCHIA:

 

RIO TAMANDUATEÍ:

No passado era conhecido como Canal de Piratininga, passou a ser chamado de Rio Tamanduateí em 1559.

 

RODA DE EXPOSTOS:

Criada na Santa Casa de Misericórdia, em 1825, foi fechada em 1951.

 

ROTELLINI, VITALINO:

Fundador e primeiro diretor do jornal em italiano Fanfulla, criado em 2 de julho de 1893.

 

RUA 24 DE MAIO:

Informações sobre o tombamento municipal: CONPRESP - Resolução no . 06/91.

 

RUA 25 DE MARÇO:

Informações sobre o tombamento municipal: CONPRESP - Resolução no . 06/91.

 

RUA DA CONSTITUIÇÃO:

Atual Rua Florêncio de Abreu.

Por volta de 1830, Carlota Augusta Grefe de Borba, a "viúva Grefe", após se casar com um integrante da Família Borba, mudou-se da Colônia de Sabt Amaro, para a Rua da Constituição, em uma casa coberta de telhas e firmada em paredes de mão, conhecida como "meia-água". A casa localizava-se em um terreno foreiro ao Mosteiro de São Bento e pagavam por essa moradia, o valor anual de 3$200. Além de servir de residência, no local também funcionava o negócio da família: armação de secos e molhados.

 

RUA DA IMPERATRIZ:

Atual Rua XV de Novembro.

 

RUA DA PALHA:

Atual Rua 7 de Abril.

 

RUA DE SANTA TERESA:

Nome antigo de parte da atual Rua Roberto Simonsen. O 1o. convento feminino, o Recolhimento de Santa Teresa, foi instalado nessa rua, em 1685.

 

RUA DE SÃO GONÇALO:

Segundo anúncio publicado no Correio Paulistano (2 de janeiro de 1856), Carlos Marquios, médico homeopata e mudou-se da antiga residência, que ficava na Rua do Rosário para um novo endereço, na Rua de São Gonçalo n.2, onde as pessoas que necessitassem dos seus serviços, poderiam procurá-lo a qualquer hora do dia.

 

RUA DIREITA:

No passado, século XVI, era conhecida como Rua Santo Antônio.

1856:

2 de janeiro: tráves de uma publicação no Correio Paulistano, o alfaiate Fresneau informa que sua loja mudou-se da Rua Direita, para o antigo endereço na Rua do Rosário. Clique aqui, para ver o anúncio.

2 de janeiro: o Correio Paulistano publica informações sobre o calçamento da Rua Direita

"CALÇADAS DA CIDADE. - O calçamento da rua Direita contratado pelo emprezario Sr. Marcellino Gerard vai progredindo convenientemente, e em breve estará concluido. Consta-se que o Sr. Marcellino Gerard tenciona apresentar uma proposta para o calçamento, pelo mesmo systema, de todas as ruas da capital, recebendo em pagamento prestações annuaes ou semestraes, em harmonia com as forças do nosso cofre provincial. parece que é este o meio mais vantajoso de possuir calçadas dignas deste nome. O emprezario tem proporções para esta consideravel empreza, e a fidelidade com que tem cumprido seus compromissos são a melhor garantia para a provincia."

[Correio Paulistano: 2 de janeiro de 2856, p.3.]

 

1914: estabelecimentos comerciais

Rua Direita n.8-A: A Cigarra
Rua Direita n.8-A: The Berlitz Schools Language
Rua Direita n.26 (1o. andar): A Equitativa dos E.U. do Brazil

 

RUA DO COMÉRCIO:

2 de janeiro de 1856: o anúncio no Correio Paulistano, informa que no número 35, funcionava a Casa de José Marques da Cruz (Secos & Molhados). Clique aqui para ver o anúncio.

Informações sobre o tombamento municipal: CONPRESP - Resolução no . 06/91.

 

RUA DO ROSÁRIO (OU ROZARIO):

1856: segundo anúncio publicado no Correio Paulistano (2 de janeiro de 1856), Carlos Marquios, médico homeopata e mudou-se da antiga residência, que ficava na Rua do Rosário para um novo endereço, na Rua de São Gonçalo n.2, onde as pessoas que necessitassem dos seus serviços, poderiam procurá-lo a qualquer hora do dia.

1856: em 2 de janeiro, atráves de uma publicação no Correio Paulistano, o alfaiate Fresneau informa que sua loja mudou-se da Rua Direita, para o antigo endereço na Rua do Rosário. Clique aqui, para ver o anúncio.

 

RUA DOS ESTUDANTES:

Abrigou o 1ao. Cemitério público de São Paulo, o Cemitério dos Aflitos, em 1775.

 

RUA FLORÊNCIO DE ABREU:

No século XIX, o nome desse logradouro era Rua da Constituição.

 

RUA JOÃO BRÍCOLA:

Informações sobre o tombamento muncipal: CONPRESP - Resolução no . 06/91.

 

RUA JOSÉ BONIFÁCIO:

Informações sobre o tombamento municipal: CONPRESP - Resolução no . 06/91.

 

RUA LÍBERO BADARÓ:

Nome antigo da rua: Rua Nova de São José.

Em 20 de novembro de 1830, Líbero Badaró, jornalista italiano, foi assassinado nessa rua, em frente à sua casa, na época chamada de Rua Nova de São José.

 

RUA NOVA DE SÃO JOSÉ:

Atual Rua Líbero Badaró. Em 20 de novembro de 1830, Líbero Badaró, jornalista italiano, foi assassinado nessa rua, em frente à sua casa.

 

RUA ROBERTO SIMONSEN:

Antigamente esse logradouro era conhecido como Rua de Santa Teresa. O 1o. convento feminino, o Recolhimento de Santa Teresa, foi instalado nessa rua, em 1685, quando ainda era conhecida como Rua de Santa Teresa.

 

RUA SANTO ANTÔNIO (ANTIGA RUA DE):

A atual Rua Direita, no século XVI, era chamada de Rua Santo Antônio.

 

RUA SÃO BENTO:

Informações sobre o tombamento municipal: CONPRESP - Resolução no . 06/91.

1973: 1a. Casa da Ópera, inaugurada por volta de 1763, ficava na Rua São Bento.

1914:

Rua São Bento, 7: Casa Odeon
Rua São Bento, 23: Alfaiataria Acadêmica F.Infanti & Cia.
Rua São Bento, 58-A: Casa Arouche
Rua São Bento - Esquina Rua da Quitanda: R.M.S.P. - The Royal Mail Steam Paket Co. P.S.N.C. - The Pacific Steam Navigation Co.

 

RUA XV DE NOVEMBRO:

Informações sobre o tombamento municipal: CONPRESP - Resolução no . 06/91.

1914:

Rua 15 de Novembro, 6-A: Casa Faria (José da Costa Faria - Alfaiate)
Rua 15 de Novembro, 6-A: Casa Paiva
Rua 15 de Novembro, 48: Casa Netter
Rua 15 de Novembro, 50: Casa Amadeu
Rua 15 de Novembro, 50-A: Casa Levy
Rua 15 de Novembro, 50-B: Grande Atelieer Photográphico G.Sarracino

 

letra Q < letra R > letra S

 

home      moyarte      não-diário      contato