Website de Mônica Yamagawa

HISTÓRIA DO

CENTRO DE SÃO PAULO

século XX: 1901 - 1910

atualizado em: 28 de agosto de 2017

 

home > centro de são paulo > 1901-1910

1900século XX: 1901 - 19101911

 

1901:

 

1902:

 

"Na abertura de 'Paris em São Paulo', na Rua São bento, anunciava-se 'o maior aocntecimento científico do século: o cynephone, ou cinematógrafo falante".

[SÃO PAULO 450 ANOS. Caderno de Fotografia Brasileira. Rio de Janeiro: Instituto Moreira Salles, 2004, p.14.]

 

 

1903:

 

1905:

 

1906:

 

1908:

 

1909:

 

1910:

 

1900século XX: 1901 - 19101911

CENTRO DE SÃO PAULO







SÉCULO XXI

2001 - 2010

2011 - 2020

 

BIBLIOGRAFIA


Desenhando São Paulo: mapas e literatura, 1877-1954

Maria Lúcia Perrone de Faro Passos, Teresa Emídio
Senac / Imesp
2009

Por vezes a história descansa nas entranhas dos arquivos, públicos ou cativos, e é preciso passos leves, lentos, para que ela se desperte sem perder os sentidos, e não se atrapalhe com as datas e eventos de que está prenhe. É disso que trata essa obra - de mapas que guardam a história que se desdobra lentamente pelas páginas deste livro. E não é qualquer história, mas aquela em que muitos têm vivido, como personagens, diretores, contra- regras, executores, enfim uma massa de construtores de um destino comum, feito a muitas mãos e múltiplas nacionalidades...[+]

 


Na Rua

Antonio A. Prado
IMS
2009

Este livro traz um retrato da cidade de São Paulo feito no início do século XX. O fotógrafo italiano Vincenzo Pastore, radicado no Brasil desde 1894, encontrou, nas bordas da modernidade, percorrendo com sua câmera as ruas mais distantes do Centro, para além dos grandes magazines, dos cafés e das confeitarias chiques, uma realidade bastante diferente da chamada belle-époque. O que se vê aqui é um espaço urbano que, na década de 1910, enfrentava dois grandes desafios. De um lado, superar os desequilíbrios sociais herdados dos períodos colonial e imperial, os quais a abolição da escravatura, em 1888, e a proclamação da República, em 1889, ainda não haviam sido suficientes para eliminar. De outro, lidar com uma categoria de cidadãos marginalizados, que, no entanto, entravam com força na composição da sociedade paulistana - os imigrantes. Entre eles, é claro, o próprio Pastore...[+]

 


Gênero e Artefato: o sistema doméstico na perspectiva da cultura material - São Paulo: 1870-1920

Vânia Carneiro de Carvalho
Edusp
2008

Neste livro, Vânia Carneiro de Carvalho supera a inconveniente separação entre cultura material e não material, partindo do pressuposto da existência de uma simbiose entre os objetos e a formação de identidades sociais, de acordo com os gêneros. Desenvolve uma história da cultura e da vida social com a introdução da problemática material, trazendo à tona a dinâmica da vida cotidiana: a relação do humano com espaços e objetos. A autora fala especificamente da organização do espaço e do sistema domésticos, em período marcado por transformações radicais na cidade de São Paulo, e estuda, com ênfase no corpo e na corporalidade, aspectos relacionados ao gênero feminino, como ambientes, trabalho doméstico, os desejos e gratificações simbólicas. Resultado de ampla pesquisa com base em fontes materiais, visuais e textuais, este é um modelo de estudo sobre cultura material que permite o entendimento da cultura de gênero...[+]

 

home      moyarte      não-diário      contato