Website de Mônica Yamagawa

HISTÓRIA DO

CENTRO DE SÃO PAULO

século XX: 1931 - 1940

atualizado em: 28 de agosto de 2017

 

home > centro de são paulo > 1931 - 1940

1930século XX: 1931 - 19401941

 

1931:

 

1932:

 

1933:

 

1934:

 

1935:

 

1936:

 

1937:

 

1938:

 

1939:

 

1940:

 

1930século XX: 1931 - 19401941

CENTRO DE SÃO PAULO







SÉCULO XXI

2001 - 2010

2011 - 2020

 


Desenhando São Paulo: mapas e literatura, 1877-1954

Maria Lúcia Perrone de Faro Passos, Teresa Emídio
Senac / Imesp
2009

Por vezes a história descansa nas entranhas dos arquivos, públicos ou cativos, e é preciso passos leves, lentos, para que ela se desperte sem perder os sentidos, e não se atrapalhe com as datas e eventos de que está prenhe. É disso que trata essa obra - de mapas que guardam a história que se desdobra lentamente pelas páginas deste livro. E não é qualquer história, mas aquela em que muitos têm vivido, como personagens, diretores, contra- regras, executores, enfim uma massa de construtores de um destino comum, feito a muitas mãos e múltiplas nacionalidades...[+]

 


Ricardo Severo: da arqueologia portuguesa à arquitetura brasileira

Joana Mello
Annablume
2007

Joana Mello investiga a obra discursiva e projetural do engenheiro português Ricardo Severo da Fonseca e Costa (1869-1940), conhecido na historiografia da arquitetura do Brasil como precursor do neocolonial no país. A partir da leitura detida de sua obra e do contexto de sua produção, a autora identifica quais eram os parâmetros teóricos e analíticos, as motivações e compromissos sociais e políticos com os quais o engenheiro se engajou nos dois países onde viveu e atuou, Brasil e Portugal. Entendendo sua produção como uma das respostas possíveis frente às tensões históricas e aos dilemas culturais e ideológicos que afligiam os intelectuais portugueses e brasileiros na virada do século XIX para o XX, este livro revela a riqueza e a diversidade do debate da época, problematiza o tema da nacionalidade e modernidade artística e ilumina a leitura do ecletismo, neocolonial e movimento moderno no Brasil...[+]

 

BIBLIOGRAFIA


A CAPITAL DA VERTIGEM
UMA HISTORIA DE SAO PAULO DE 1900 A 1954

Roberto Pompeu de Toledo
Objetiva
2015

O jornalista Roberto Pompeu de Toledo narra em 'A capital da vertigem' sua arrancada rumo à modernidade. Eis uma cidade que deixa a condição de vila e se torna a maior metrópole do país. É a capital da vertigem - vertigem artística, industrial, demográfica, social e urbanística. Neste painel que vai do início do século XX a 1954 - quando a cidade completa quatrocentos anos -, aparecem personagens como Oswald e Mário de Andrade, Monteiro Lobato, Washington Luís, Prestes Maia, e Francisco Matarazzo, e surgem episódios que vão da Semana de Arte Moderna de 1922 à epidemia de gripe espanhola, da Revolução de 1924 à chegada do futebol ao país....[+] 

Também disponível na versão digital e-pub

 


Imagens da hotelaria na cidade de São Paulo: panorama dos estabelecimentos até os anos 1980

Sandra Trabucco Valenzuela
Senac SP
2013

Da hospedagem doméstica à pensão e ao atual hotel, a cidade de São Paulo conheceu diferentes meios de receber seus visitantes, forasteiros nem sempre vistos com bons olhos, no passado. Em 'Imagens da hotelaria na cidade de São Paulo' a evolução dos serviços de hospedagem é estudada por meio de crônicas de viajantes, cartões-postais, reportagens, fotografias, etiquetas de bagagem e anúncios, acompanhados de necessária contextualização, o que permite ao leitor conhecer não apenas o processo de instalação e desenvolvimento dessas atividades, mas também as profundas mudanças que a própria cidade sofreu ao longo de mais de quatrocentos anos...[+]

 


Bom Retiro, Bairro Central de São Paulo: Transformações e Permanências 1930-1954

Liziane Peres Mangili
Alameda
2012

Milhares de pessoas percorrem, todos os dias, as ruas do bairro paulistano do Bom Retiro. Atraídos pela indústria de confecção que tornou célebre sua principal via, a rua José Paulino, esses visitantes ajudam a manter um dinamismo econômico e social que marca esse segmento da cidade há mais de cem anos. Loteado pouco a pouco desde fins do século XIX, o Bom Retiro nasceu como espaço de imigrantes, marcado pela vida operária, pelas fábricas de tecidos e de alimentos e, posteriormente, pela produção de vestuário e sua comercialização frenética. Outrora um bairro italiano (e, por isso, nele fica a Rua dos Italianos), ali foram se sobrepondo portugueses, espanhóis, judeus de diferentes origens geográficas, gregos, armênios e, mais recentemente, coreanos e bolivianos. Tantas transformações estão, entretanto, firmemente alicerçadas também em permanências. Este livro instigante de Liziane Peres Mangili permite compreender, com base em ampla e rigorosa pesquisa documental, como o bairro manteve ao longo de décadas uma expressiva vitalidade econômica, baseada claramente em seu perfil misto. Habitação, indústria e comércio complementavam-se, numa equação auxiliada pela proximidade das estações e do centro paulistano. Seus lotes foram ocupados intensamente, por meio de sucessivas reformas e ampliações, garantindo uma densidade que se fortaleceu com a passagem das décadas. Fontes cartográficas, processos de aprovação de plantas e anúncios de jornais são aqui relacionados de maneira criativa, o que permite documentar a trajetória de múltiplos agentes sociais. Loteadores, compradores de lotes, comerciantes, construtores e industriais surgem das páginas deste livro, permitindo entrever as redes sociais que teceram e construíram a urbanização do Bom Retiro. Uma intensa complexidade que é somente possível nas grandes metrópoles contemporâneas, captada com vigor analítico e sensibilidade de pesquisa pela autora, nesse livro que, certamente, cativará os que procuram compreender as dinâmicas urbanas...[+]

 


História da Saúde em São Paulo
Instituições e Patrimônio Arquitetônico
(1808 - 1958)

Maria Lúcia Mott
Gisele Sanglard
Manole
2012

A obra busca resgatar a trajetória e a inserção social de instituições como os hospitais que desempenharam múltiplas funções, como formação e treinamento de profissionais da saúde e modos variados de assistência à população. A partir de análises históricas e arquitetônicas e de um inventário de instituições, o livro procura contribuir tanto para a história da saúde pública em São Paulo quanto para a implementação de políticas efetivas de preservação desses espaços...[+]

 

home      moyarte      não-diário      contato